PF resgata seis trabalhadores em condições de escravidão em Mato Grosso

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • ''Há um plano para forçar Bergoglio a renunciar", denuncia Arturo Sosa

    LER MAIS
  • EUA: um complô para fazer com que o papa renuncie

    LER MAIS
  • “Construímos cidades para que as pessoas invistam, não para que vivam”. Entrevista com David Harvey

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

05 Setembro 2016

A Polícia Federal resgatou nesta quarta-feira (31) seis trabalhadores que eram mantidos em condições análogas à escravidão em uma fazenda no município de Tapurah, no Mato Grosso, distante 414 quilômetros da capital Cuiabá. Denúncias anônimas apontaram à Polícia Federal que os homens não possuíam carteira de trabalho assinada e eram obrigados a trabalhar diariamente entre 4 horas às 18 horas, durante todos os dias da semana, sem direito a folgas.

A informação é publicada por Agência Estadão, 02-09-2016.

Além da jornada exaustiva, os trabalhadores eram sujeitos a condições degradantes de trabalho, dormindo em alojamentos de madeira e terra batida, local onde também era estocado combustível.

As informações ainda apontaram que os homens recebiam marmitas frequentemente com comida azeda, tendo que ser consumidas no meio da mata.

A Polícia Federal também identificou que não havia regularidade no pagamento dos salários e que os trabalhadores teriam recebido apenas R$ 200 nos últimos 40 dias trabalhados. Segundo eles, o empregador não pagava o valor devido como forma de obrigá-los a continuarem no serviço.

O proprietário da área e o responsável pela contratação foram identificados e poderão ser indiciados pelo crime de redução à condição análoga de escravo, com pena de reclusão de dois a oito anos. Além disso, a fazenda poderá ser expropriada.

Os trabalhadores foram levados a Tapurah e encaminhados ao advogado do empregador para a realização dos registros e acertos trabalhistas devidos.

Leia mais...

Comentários em TV sobre escravidão no Brasil causam polêmica da França

“Hoje há mais escravos do que havia antes da proibição da escravidão”, constata Manfred Max Neef, economista

Fundação revela que 45,8 milhões vivem sob regime de escravidão moderna

A terceirização e o rebaixamento dos direitos trabalhistas. Entrevista especial com Marilane Teixeira

MPF quer publicação de lista suja de empregadores flagrados utilizando trabalho escravo

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

PF resgata seis trabalhadores em condições de escravidão em Mato Grosso - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV