BA: Resgatadas sete pessoas em trabalho escravo

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • Desigualdade bate recorde no Brasil, mostra estudo da FGV

    LER MAIS
  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • “Este Sínodo, em sua profecia, é fiel aos gritos dos pobres e da irmã Mãe Terra”. Entrevista com Mauricio López

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Agosto 2016

Resgatados atuavam em companhia de rodeio em situação degradante e sem formalização do contrato de trabalho no norte da Bahia

Uma força-tarefa realizada ontem identificou sete trabalhadores em condições análogas à escravidão no município de São José do Jacuípe, no norte da Bahia. Os trabalhadores prestavam serviço de montaria e montagem de estruturas para a empresa Rodeio 100 Limites, sem a formalização do contrato de trabalho, pagamento da remuneração devida, além de serem submetidos a condições degradantes de trabalho.

A reportagem foi publicada por EcoDebate, 17-08-2016.

Durante a inspeção, constataram-se péssimas condições de trabalho e de alojamento, como exemplo de falta do fornecimento de equipamentos de proteção individual, instalações sanitárias adequadas e água potável. Um dos trabalhadores dormia sob o palco da arena de apresentações e outros dois, em boleias de caminhões. Os demais viviam em locais com instalações precárias, não higiênicas, sem ventilação adequada, não dispondo de camas ou armários e de local para consumo de refeições que, se resumiam a porções de cuzcuz e café. Entre os resgatados havia um adolescente de 16 anos, sendo que, as atividades realizadas pelo jovem integram a lista das piores formas de trabalho infantil (Lista TIP).

A remuneração semanal acordada quando da contratação não era cumprida pelo empregador, havendo semanas em que os trabalhadores apontam ter recebido apenas o valor de R$10 pelas atividades desenvolvidas, não tendo como custear sequer materiais de higiene pessoal.

Em depoimento, os resgatados relataram a existência de vigilância armada e a ocorrência de casos de agressão física e acidentes de trabalho. Afirmaram também que, mesmo machucados, eram coagidos, mediante violência e grave ameaça, a realizar a montaria.

Os trabalhadores resgatados foram encaminhados para um abrigo em local sigiloso e o empregador foi notificado para realizar o pagamento dos salários em atraso e das verbas rescisórias, bem como, providenciar o retorno dos mesmos às localidades de origem até a próxima quinta-feira (18).

Participaram da ação, o Ministério do Trabalho, o Ministério Público do Trabalho, o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Fed

Leia mais...

Trabalho escravo no Brasil: os riscos de passar de vitrine a vidraça. Entrevista especial com Xavier Plassat

Número de operações de fiscalizações do trabalho escravo no Brasil registra queda

Seu celular foi produzido com trabalho escravo infantil?

BA: Cinco trabalhadores rurais são resgatados de trabalho análogo ao escravo

Índice aponta trabalho escravo em empresas hi-tech

Entre o 1% mais rico do planeta, exploração e trabalho escravo

A omissão silenciosa e o avanço da precarização trabalhista: as perspectivas do governo Dilma em 2015. Entrevista especial com Giovanni Alves

Terceirização e trabalho escravo: níveis pandêmicos de precarização. Entrevista especial com Vitor Filgueiras

Lei de Acesso à Informação gera nova “lista suja” do trabalho escravo

A terceirização e o rebaixamento dos direitos trabalhistas. Entrevista especial com Marilane Teixeira

'Lei da terceirização é a maior derrota popular desde o golpe de 64'

Terceirização: intermediação ilegal de mão de obra Revista IHU Online N° 390

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

BA: Resgatadas sete pessoas em trabalho escravo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV