Papa Francisco a 200 pobres e doentes: Vocês são o tesouro da Igreja!

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Segunda onda da covid-19 no Brasil é ‘risco iminente’, alerta Nicolelis

    LER MAIS
  • A horripilante foto eleitoral da ‘terrorista de direita’

    LER MAIS
  • Como o desumano entrou no humano. Artigo de Marco Revelli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 07 Julho 2016

Na manhã desta quarta-feira, o Papa Francisco não celebrou a tradicional audiência, pois serão retomadas apenas em agosto, após algumas semanas de descanso. Mas, teve um comovente encontro com 200 pobres, deficientes e doentes na Sala Paulo VI, e assegurou-lhes que eles são o tesouro da Igreja.

A reportagem é de Alvaro de Juana e publicada por ACI Prensa, 06-07-2016. A tradução é de André Langer.

“A Igreja quis compartilhar a condição de vocês e se fez, por amor, um de vocês, desprezado pelos homens, esquecido, alguém que não conta”, disse.

Os doentes vieram da França junto com o cardeal Philippe Barbarin, arcebispo de Lyon. Pertencem ao Movimento Quarto Mundo, que tem como objetivo principal ajudar estas pessoas e foi inspirado pelo padre Joseph Wresinski, de quem o Pontífice falou durante o seu discurso.

No começo, algumas pessoas que estavam presentes deram seu testemunho e pediram a Francisco que a Igreja abra as portas aos pobres.

O Papa assinalou que a presença de todos eles “é um lindo testemunho de fraternidade evangélica” e assegurou: “Vocês são preciosos e estão no coração da Igreja. Jesus sempre deu prioridade a pessoas como vocês”.

“Qualquer que seja a condição de vocês, a sua história ou o peso que carregam”, disse o Papa, “é Jesus que nos une. Por meio dele somos irmãos e quero que vocês sejam bem-vindos aqui. Sua presença é importante para mim e é importante tê-los aqui, em sua casa”.

“A Igreja, que ama e prefere isso que Jesus amou e preferiu, não pode estar tranquila até que não tenha reunido todos aqueles que experimentam a rejeição, a exclusão e que não contam nada”.

Francisco também teve palavras para aqueles que ajudam estas pessoas e as acompanham: “A vida compartilhada com os pobres nos transforma e nos converte”.

“Vocês não vão apenas ao encontro – continuou –, vocês não apenas caminham com eles, esforçando-se por compreender seu sofrimento, entrando em seu desespero”, mas “constroem em torno deles uma comunidade, restituindo neles uma existência, uma identidade, uma dignidade”.

“Recordava o que as pessoas pensavam quando viram Maria, José e Jesus pelas ruas fugindo para o Egito. Eles eram pobres, estavam afligidos pela perseguição, mas ali estava Deus”, disse.

Francisco exortou-os a “conservar a coragem e, em meio à angústia, conservar a alegria e a esperança”. “Estejam seguros de que a provação e o sofrimento não durarão para sempre, porque nós acreditamos em um Deus que repara todas as injustiças, que consola todas as penas e sabe recompensar aqueles que confiam Nele”.

“O tesouro da Igreja são os pobres, disse o diácono romano São Lorenzo”, afirmou o Papa de maneira improvisada. É “uma missão que somente vocês, desde sua pobreza, serão capazes de realizar”.

“Jesus algumas vezes foi muito severo e chamou a atenção das pessoas que não acolhem a mensagem do Pai. E assim como Ele disse essa palavra ‘bem-aventurados os pobres, os doentes, aqueles que choram, aqueles que são odiados e perseguidos’, disse também: Mas ai de vocês, os ricos, os sábios, os que agora riem, aqueles que gostam de ser adorados, os hipócritas”.

“Eu lhes confio a missão de rezar por eles, para que o Senhor transforme o coração deles. Peço que rezem pelos culpados de sua pobreza, para que se convertam!”, acrescentou.

“Rezem por tantos ricos que vestem púrpura e escarlate e fazem festa com grandes banquetes, sem perceber que à porta deles há tantos Lázaros desejosos de matar a fome com as sobras de suas refeições. Rezem também pelos sacerdotes, pelos levitas que – ao verem aquele homem meio morto – passam olhando para o outro lado, porque não têm compaixão”.

“A todas essas pessoas e também a outras que estão unidas com sua pobreza e com tantos sofrimentos, sorriam de coração, desejem o bem e peçam a Jesus que as convertam. E lhes garanto que, se fizerem isso, haverá grande alegria na Igreja, em seus corações e também na amada França”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco a 200 pobres e doentes: Vocês são o tesouro da Igreja! - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV