O Vaticano responde à Turquia: “O Papa Francisco não faz cruzadas”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco nomeia novo secretário: um padre que trabalha com crianças de rua e viciados em drogas

    LER MAIS
  • O crime da Vale em Brumadinho: metáfora de um sistema minerário predatório

    LER MAIS
  • O papa aprova como vice Decano o argentino Sandri que se calou sobre os crimes do padre Maciel, estuprador de 60 crianças

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 27 Junho 2016

O Papa Francisco “não faz cruzadas” nem fez declarações contra a Turquia “com espírito de cruzada”, respondeu no domingo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, às acusações do vice-primeiro-ministro turco, contra a declaração de “genocídio armênio” feita pelo Papa na última sexta-feira.

 
Fonte: http://bit.ly/28VMQOS  

A reportagem é publicada por Religión Digital, 26-06-2016. A tradução é de André Langer.

“Se escutamos o Papa, não há nada [em suas palavras] que evoque um espírito de cruzada. Sua vontade é construir pontes em vez de muros. Sua intenção real é construir as bases para a paz e a reconciliação”, garantiu em uma entrevista coletiva em Erevan (Armênia) o porta-voz Federico Lombardi.

Francisco rezou pela reconciliação de todos, não pronunciou nenhuma palavra contra o povo turco. O Papa não faz cruzadas, não tenta organizar guerras”, insistiu.

O governo de Ancara, através do seu vice-primeiro-ministro, respondeu de maneira muito contundente, no sábado, falando de “mentalidade de cruzadas”, depois que o Papa mencionara novamente a palavra “genocídio” na presença dos políticos armênios.

Esta declaração é “muito infeliz, não se trata de uma declaração objetiva que corresponde à realidade”, disse Nurettin Canlikli, citado pela agência noticiosa turca Anadolu.

“É possível observar todas as marcas e reflexões características da mentalidade das Cruzadas nas ações do Papa”, acrescentou o dirigente turco.

O Papa mencionou duas vezes o “genocídio” dos armênios durante o Império Otomano: primeiro, em abril de 2015 no Vaticano e, depois, na sexta-feira passada em Erevan.

A Turquia nega o termo genocídio para qualificar os massacres ocorridos entre 1915 e 1917, afirmando que as vítimas, no contexto de uma guerra civil, foram menos numerosas e eram tanto turcas como armênias.

Por outro lado, e como apontou Lombardi, o Papa Francisco e o Patriarca da Igreja Apostólica armênia, Karekin II, assinaram neste domingo uma declaração conjunta.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Vaticano responde à Turquia: “O Papa Francisco não faz cruzadas” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV