Na Índia, seis mulheres se suicidam por dia em função da cultura do dote

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa doa aos pobres um prédio de luxo a poucos passos de São Pedro

    LER MAIS
  • Arautos do Evangelho. Vaticano retoma a intervenção

    LER MAIS
  • Diálogo de surdos: Esquerda e direita falam só para bolhas de convertidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

19 Março 2008

Aos menos seis mulheres se suicidam por dia na Índia por extorsões do marido ou de sua família. Por detrás das extorsões, chantagem e assédio reside a cultura do dote que a mulher deve ao homem ao contrair o casamento. O expediente é proibido por lei, mas continua em voga no país.
Radha, uma mulher de 23 anos preferiu morrer a continuar vivendo. Não suportava a pressão da família do seu esposo. Assediada constantemente porque acreditavam que os seus pais não lhe haviam dado um dote suficiente. O caso de Radha não é isolado. Na Índia mais de seis mulheres se suicidam a cada dia por problemas de dotes, segundo o Escritório Nacional de Registros de Crime. O dote, dinheiro ou bens (jóias, carros ou casas) que por convenção social, a família da noiva deve presentear ao noivo antes do casamento está proibido por lei desde os anos setenta, entretanto, continua sendo algo comum.
Como no caso de Radha (nome fictício), depois do matrimônio, muitas mulheres sofrem “as exigências e, em alguns casos tortura psicológica ou física da família do marido que acredita que não se aportou dinheiro suficiente ou bens e pressiona para que peça mais aos pais”, afirma Jacob. A coerção é tal que 2.276 mulheres se suicidaram em 2006, número similar ao do ano anterior, 2.035 casos. O registro nacional revela que a cada hora as comissárias recebem uma denúncia por estes conflitos.

(cfr. notícia do dia 19-03-08, desta página).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Na Índia, seis mulheres se suicidam por dia em função da cultura do dote - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV