Haiti decide recriar Exército, extinto por Aristide

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • "O pior de tudo em Manaus é a sensação de impotência"

    LER MAIS
  • O testamento de Dom Jacques Noyer, bispo francês. "O celibato eclesiástico é uma falsa aventura"

    LER MAIS
  • “Pelo amor de Deus, nos enviem oxigênio”, apelam os bispos do Amazonas e Roraima

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


19 Novembro 2011

O presidente do Haiti, Michel Martelly, lançou ontem um plano para restaurar as Forças Armadas do país.

O Exército haitiano foi extinto em 1995 pelo ex-presidente Jean-Bertrand Aristide.

A informação é do jornal Folha de S. Paulo, 19-11-2011.

Durante a comemoração do Dia das Forças Armadas em Porto Príncipe, Martelly formou comissão para preparar a restauração militar.

Detalhes do plano só serão apresentados no próximo dia 1º de janeiro, aniversário da Independência do Haiti. A reconstituição da defesa foi promessa da campanha de Martelly, eleito em março.

O país mais pobre das Américas ainda se esforça para se recuperar do terremoto devastador do ano passado, que destruiu a capital e matou milhares de pessoas. Depois, uma epidemia de cólera matou mais de 600 mil.

A iniciativa de Martelly é vista com receio por alguns doadores estrangeiros e por críticos internos.

Eles afirmam que a restauração da instituição militar, criticada por violações de direitos humanos, poderia ser um fator de divisão e desviar recursos voltados para a reconstrução do país.

Os doadores internacionais já estão financiando o treinamento pela ONU da Polícia Nacional Haitiana. A força foi recentemente expandida para 10 mil homens e deve assumir o policiamento quando a missão de paz da ONU (Minustah) sair do país.

"Esse é um assunto delicado, relativo à soberania do Haiti", disse à Folha no início de novembro o chefe da Minustah, Mariano Fernández. "Mas não está no nosso mandato apoiar um Exército no país", afirmou.

Em outubro, foi anunciada a redução do efetivo militar total da missão dos atuais 8.718 capacetes azuis de 19 países para um contingente de 7.340 militares.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Haiti decide recriar Exército, extinto por Aristide - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV