"As mudanças climáticas vão aumentar ainda mais o buraco de ozônio na Antártida"

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Francisco e as uniões homossexuais

    LER MAIS
  • Dom Paulo Cezar Costa, novo Arcebispo de Brasília. Nota da Comissão Justiça e Paz de Brasília

    LER MAIS
  • O chileno salvo por Bergoglio - “Ele foi o primeiro a acolher os homossexuais como filhos de Deus”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


05 Outubro 2011

Para Michael Colacino, que coordenou as medições na Antártida, com o Protocolo de Montreal, só foi enfrentado até agora o lado químico do problema.

A reportagem é de Elena Dusi, publicada no jornal La Repubblica, 03-10-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

"O Protocolo de Montreal interveio no lado químico do problema. Mas o climático ainda está em aberto", explica Michael Colacino, que foi diretor do Instituto de Física Atmosférica do CNR e coordenou até o ano passado as medições feitas na Antártida.

Eis a entrevista.

Por quanto tempo permanecerão ativos os gases que destroem o ozônio?

A ação de destruição do cloro na atmosfera pode durar 30 ou 40 anos. Por isso, na época de Montreal, previa-se que a quantidade de ozônio na Antártida voltariam ao normal em torno de 2020-2025. Hoje, porém, esse prazo foi postergado para não antes de 2050. E aqui intervém o discurso sobre as mudanças climáticas.

Os autores da Nature evitam entrar nesse assunto.

Mas a temperatura é um fator determinante, porque a destruição do ozônio é possibilitada pelo frio intenso que é registrado nas nuvens estratosféricas polares. E sabemos muito bem que, quando a temperatura aumenta nas camadas baixas da atmosfera, por razões de equilíbrio radioativo, deve diminuir nas camadas altas.


Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"As mudanças climáticas vão aumentar ainda mais o buraco de ozônio na Antártida" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV