Indígenas do Equador obtém vitória parcial contra a Chevron

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma escolha crucial: como a Igreja seleciona seus bispos?

    LER MAIS
  • Padres despedaçados. Artigo de Pietro Parolin

    LER MAIS
  • Os três passos dos homens

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Setembro 2011

As comunidades indígenas equatorianas que mantém faz quase 20 anos uma ação contra a petroleira Chevron conseguiram nessa segunda uma vitória parcial nos tribunais que poderá ajudar na cobrança de uma indenização multimilionária.

A reportagem é de Pablo Ximénez de Sandoval e publicada pelo El País, 21-09-2011. A tradução é do Cepat.

A empresa Chevron tinha conseguido em março que um juíz de Nova York declarasse inexecutável nos Estados unidos uma sentença de um tribunal equatoriano que condenou a petroleira a pagar 18 bilhões de dólares às comunidades indígenas da região de Sucumbíos (Equador) por danos ambientais.

O juíz Lewis Kaplan impediu que se cobrasse a indenização com bens da Chevron em território estadunidense (no Equador não há), aceitando o argumento da petroleira de possível corrupção na ação. Na segunda-feira, porém, a Corte de Apelações dos EUA revogou essa decisão e eliminou um importante obstáculo para a cobrança.

A indenização que poderá ficar pela metade se a Chevron pedir desculpas aos afetados, foi deferida por um tribunal de Lago Agrio (Equador) em 14 de fevereiro passado e é a mais alta jamais cobrada por um delito ambiental. A Chevron recorreu da decisão. Os demandantes se comprometeram a não exigir o pagamento da indenização até que não se tenha uma sentença definitiva nos tribunais equatorianos.

O advogado principal dos indígenas, o equatoriano Pablo Fajardo, declarou: "A resolução significa um importante passo para que se faça justiça e tira o chão da estratégia que foi montada pela Chevron". Segundo Fajardo, a decisão "dá razão aos demandantes".

Em um comunicado, a companhia estadunidense destacou que a Corte federal rejeitou a pretensão dos demandantes de recusar o juíz Lewis Kaplan e separá-lo da causa por suposta falta de imparcialidade. A Chevron considera que todo o processo é uma montagem e que a corrupção da justiça equatoriana impede um processo justo.

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Indígenas do Equador obtém vitória parcial contra a Chevron - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV