Redd+ pode trazer mais desmate, alerta Greenpeace

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • “A Terra é um presente para descobrir que somos amados. É preciso pedir perdão à Terra”, escreve o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Piketty: a ‘reforma agrária’ do século XXI

    LER MAIS
  • Sínodo, o único sacerdote indígena: “Eu deixaria o sacerdócio se entendesse que o celibato não serve mais para mim”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

10 Abril 2011

Um estudo internacional realizado pela ONG Greenpeace aponta que os mecanismos de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (Redd+, na sigla em inglês) podem não ser tão eficientes para reduzir o desmatamento quanto se pensa. O Redd permite a compensação de emissões de gases-estufa, em países em desenvolvimento, por meio da negociação de créditos de carbono de áreas florestais de programas de manejo da floresta.

A informação é do jornal O Estado de S. Paulo, 11-04-2011.

O estudo, intitulado Má Influência, critica a consultoria McKinsey, que tem elaborado a maior parte dos planos de Redd+ dos países. Segundo a ONG, a consultoria distorceu o papel do mecanismo e incentiva a ação da indústria madeireira. O relatório cita o exemplo da Guiana, onde a ação de madeireiros cresceu 20% em razão do plano de manejo florestal sugerido pela consultoria.

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Redd+ pode trazer mais desmate, alerta Greenpeace - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV