Organização de religiosas dos EUA se diz ''estupefata''

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Vozes que nos desafiam. Celebração da Festa de Santa Maria Madalena

    LER MAIS
  • O que faria a esquerda despertar? Vladimir Safatle comenta a política brasileira

    LER MAIS
  • Agnes Heller, uma filósofa radical em busca da aventura da existência

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

20 Abril 2012

A maior organização de lideranças das religiosas dos EUA afirma estar "estupefata" com o anúncio da última quarta-feira de que a congregação vaticana para a Doutrina da Fé havia ordenado que a organização reforme os seus estatutos e nomeado um arcebispo para supervisionar a sua revisão.

A reportagem é de Joshua J. McElwee, publicada no sítio do jornal National Catholic Reporter, 19-04-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

"A presidência da Leadership Conference of Women Religious (LCWR) ficou estupefata com as conclusões da avaliação doutrinal da LCWR por parte da Congregação para a Doutrina da Fé", disse o grupo em uma nota de imprensa na manhã dessa quinta-feira.

"Pelo fato de as lideranças da LCWR terem o costume de se encontrar anualmente com a equipe da Congregação para a Doutrina da Fé em Roma e pelo fato de a LCWR seguir estatutos canonicamente aprovados, nós fomos pegas de surpresa".

Na quarta-feira, o Vaticano anunciou que havia nomeado o arcebispo Peter Sartain, de Seattle, para supervisionar a LCWR, que tem sido objeto de uma avaliação doutrinal por parte da congregação vaticana desde 2009.

O grupo enviou um e-mail nessa quinta-feira para as superioras de cada uma das congregações que ele representa, explicando como o grupo tomou conhecimento da notícia.

Esse e-mail, obtido pelo NCR, diz que as lideranças da LCWR estavam em Roma para se encontrar, na última quarta-feira, com membros da Congregação para a Doutrina da Fé acerca da avaliação doutrinal. Quando as lideranças chegaram à reunião, a Congregação já havia comunicado a Conferência dos Bispos dos EUA (USCCB) sobre a nomeação de Sartain, afirma o e-mail.

Além disso, o e-mail diz que os membros da LCWR foram avisadas durante o encontro que a notícia da nomeação seria compartilhada na quarta-feira com a Conferência dos Bispos só internamente e não com o público em geral, a fim de dar tempo para que o grupo se comunicasse com suas lideranças.

"Quando nos encontramos com o cardeal (William) Levada, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, no dia 18 de abril, quando recebemos os resultados da avaliação, o comunicado da Congregação já havia sido enviado para a USCCB para ser divulgado ao meio-dia", afirma o e-mail.

"Compreendemos que os documentos seriam postos na página eletrônica da USCCB de acesso apenas a seus membros", continua. "Consequentemente, esperávamos comunicar as conclusões para vocês mesmas. Isso não foi possível".

O primeiro anúncio da nomeação de Sartain ocorreu em uma nota de imprensa da quarta-feira por parte da Conferência dos Bispos dos EUA, que foi acompanhada por um documento de oito páginas da congregação doutrinal e por uma declaração de uma página de Levada.

De acordo com o documento da Congregação, Sartain receberá autoridade sobre o grupo em cinco áreas, incluindo:

  • Revisar os estatutos da LCWR;
  • Rever os planos e os programas da LCWR;
  • Criar novos programas para a organização;
  • Rever e oferecer orientações para a aplicação dos textos litúrgicos; e
  • Rever as filiações da LCWR com outras organizações, citando especificamente a Network e o Resource Center for Religious Institutes.

Segundo a carta, o mandato de Sartain irá durar "até cinco anos, na medida do necessário". Também se espera que Sartain estabeleça uma equipe de consultoria, incluindo clérigos e religiosas, para "trabalhar colaborativamente" com as lideranças da LCWR e para "relatar o andamento desse trabalho à Santa Sé".

"Dessa forma, a Santa Sé espera oferecer uma contribuição importante para o futuro da vida religiosa na Igreja nos Estados Unidos", afirma a carta.

Em um e-mail ao NCR nessa quinta-feira, Annmarie Sanders, diretora-associada de comunicações da LCWR, disse que as autoridades do grupo "decidiram não dar nenhuma entrevista até que tenham tempo para fazer uma consulta muito mais ampla com o nosso conselho e com os nossos membros".

"Não queremos dar prosseguimento até que tenhamos feito sobre toda essa questão uma cuidadosa reflexão e oração, e até que conheçamos a opinião dos nossos membros", escreveu Sanders, que também integra o conselho de diretores do NCR.

De acordo com a nota dos bispos dos EUA, Dom Leonard Blair, bispo de Toledo, Ohio, e Dom Thomas John Paprocki, bispo de Springfield, Illinois, irão trabalhar com Sartain.

A avaliação da LCWR por parte da congregação doutrinal vaticana começou logo após a Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica do Vaticano ter anunciado uma visitação apostólica independente das ordens religiosas femininas norte-americanas. Os resultados desse estudo foram submetidos a Roma em janeiro deste ano.

Em sua carta dessa quarta-feira, Levada escreve que a nomeação de Sartain "visa a fomentar uma renovação paciente e colaborativa dessa conferência de superioras-maiores, a fim de fornecer uma fundamentação doutrinal mais forte para as suas muitas e louváveis iniciativas e atividades".

O documento da Congregação enfatiza novamente o motivo da avaliação doutrinal, escrevendo que Levada dissera às lideranças da LCWR em 2008 que a Congregação tinha três áreas principais de preocupação com o grupo:

  • O conteúdo dos discursos dos oradores das assembleias anuais da LCWR;
  • A "discordância corporativa" na congregação acerca dos ensinamentos sexuais da Igreja; e
  • "A prevalência de certos temas feministas radicais incompatíveis com a fé católica", presentes em alguns dos programas e apresentações das organizações.

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Organização de religiosas dos EUA se diz ''estupefata'' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV