Ano da Fé. Uma fé sem busca não tem nada a dizer

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Francisco protagoniza uma impactante oração pelo fim da pandemia em uma vazia e chuvosa praça São Pedro

    LER MAIS
  • IHU para a quarentena. O Indivíduo e a Sociedade em introspecção

    LER MAIS
  • Vaticano, um segundo infectado em Santa Marta. Papa: “Não vou me mudar”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


13 Janeiro 2012

O caminho pessoal da fé só pode ter a aparência de uma busca verdadeira; não é a transmissão de um conteúdo doutrinário.

A opinião é do cientista político e leigo católico italiano Christian Albini, em nota publicada em seu blog, Sperare per Tutti, 09-01-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis o texto.

Eu li a Nota da Congregação para a Doutrina da Fé com as indicações pastorais para o Ano da Fé proclamado por Bento XVI [disponível aqui].

Sinceramente, achei-a decepcionante. Tudo se reduz a uma exortação para que se façam esforços para apresentar os conteúdos da doutrina católica, concentrando-se muito no Catecismo e substancialmente ignorando a Palavra de Deus

Quer-se redescobrir a fé deixando de lado o seu fundamento.

Além disso, todo o documento é permeado por uma ideia da doutrina católica como um pacote completo e já predisposto de verdade do qual a Igreja é detentora e que deve transmitir ao mundo. Não há espaço para as perguntas e para a busca. Mas uma fé sem busca não tem nada a dizer, especialmente ao homem contemporâneo...

Sem ir procurar muito longe, até mesmo em algumas passagens da homilia de Bento XVI na missa do dia 8 de janeiro [Celebração do Batismo do Senhor] encontramos uma ênfase diferente.

Deus quer nos dar sobretudo a Si mesmo e Sua Palavra. Quais são "as fontes da salvação"? São a Palavra de Deus e os Sacramentos. Os pais não são a fonte, assim como nós, sacerdotes, não somos a fonte: somos apenas como que canais, através dos quais deve passar a linfa vital do amor de Deus.

O verdadeiro educador não liga as pessoas a si mesmo, nem é possessivo. Ele quer que o filho, ou o discípulo, aprenda a conhecer a verdade e estabeleça com ela uma relação pessoal. O educador cumpre o seu dever até o fim, não faz faltar a sua presença atenta e fiel; mas o seu objetivo é que o educando ouça a voz da verdade falar ao seu coração e a siga em um caminho pessoal.

Esse caminho pessoal, observo eu, só pode ter a aparência de uma busca verdadeira; não é a transmissão de um conteúdo doutrinário.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ano da Fé. Uma fé sem busca não tem nada a dizer - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV