Uma comissão para a proteção das crianças vítimas de pedofilia

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Irã. A história política do país persa, xiita e anti-imperialista

    LER MAIS
  • Alvim e Goebbels: Foi traçado um limite para o absurdo

    LER MAIS
  • Com acusação de ambientalistas que trabalham na proteção da Amazônia, "o medo está instalado", diz Libération

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Caroline | 07 Dezembro 2013

Um novo passo foi dado pela Santa Sé na luta contra a pedofilia. Francisco (foto) aceitou a proposta do conselho dos oito cardeais e instituirá uma comissão específica “para a proteção das crianças”, que será composta por especialistas internacionais. Foi o que indicou, esta manhã, na Sala de Imprensa vaticana, o cardeal Sean O’Malley, arcebispo de Boston e membro do “C8”.

 
Fonte: http://goo.gl/IrWkbz  

A reportagem é de Andrea Tornielli, publicada por Vatican Insider, 05-12-2013. A tradução é do Cepat.
 
É significativo que o purpurado tenha anunciado isso, de surpresa. A diocese de O’Malley é uma das mais afetadas pelo escândalo da pedofilia no clero. “Seguindo a decisão na linha dada por Bento XVI e acolhendo a proposta do conselho dos cardeais - explicou O’MalleyFrancisco decidiu construir uma comissão específica para a proteção das crianças, com a finalidade de aconselhar o Papa e a Santa Sé e para o cuidado pastoral das vítimas de abusos”.
 
A comissão, que será instituída oficialmente com um documento (no qual serão especificadas suas finalidades) “terá que estudar os programas existentes para conter o fenômeno – explicou o purpurado estadunidense –, dar apoio para os que tratam das crianças, garantir a assistência psicológica, colaborar com as autoridades civis, ajudar as vítimas e as suas famílias, estudar a reabilitação dos sacerdotes culpados”.
 
 “Todos nós, os cardeais, estávamos muito entusiasmados com a proposta – indicou O’Malley – e estamos muito felizes pela resposta do Papa Francisco. Até agora tem se colocado muita ênfase nos processos jurídicos e muito pouca na prática pastoral. A Santa Sé pediu às conferências episcopais que formulassem suas propostas, agora é importante que a própria Santa Sé tenha uma plano e trabalhe para dar uma reposta pastoral ao problema”.
 
O “C8” dos cardeais conselheiros começou a estudar a reforma dos dicastérios da Cúria. Decidiu-se a data para o próximo encontro, que será em fevereiro (entre os dias 17 e 19), um pouco antes do Consistório do colégio de cardeais, que irá se reunir para discutir sobre algumas temáticas relacionadas com a reforma, antes da criação de novos purpurados, que será, certamente, em 22 de fevereiro. “Estamos estudando os diferentes dicastérios, começamos a fazer as primeiras propostas – explicou O’Malley –, mas nosso trabalho apenas começou”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Uma comissão para a proteção das crianças vítimas de pedofilia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV