Xuereb disse que o Papa vai a Lampedusa para “chorar os mortos”

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Cenas de um filme de terror da vida real. Os 30 anos do massacre de Ignacio Ellacuría e seus companheiros

    LER MAIS
  • Aumento de mortalidade no país está diretamente ligado a corte de verbas no SUS

    LER MAIS
  • Papa Francisco quer incluir 'pecado ecológico' na doutrina oficial da Igreja, após Sínodo da Amazônia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 05 Julho 2013

O papa Francisco irá a Lampedusa, a ilha da última fronteira sul italiana, para “chorar” os imigrantes clandestinos que se encontram com a morte na busca por uma vida melhor. Assim acenou o secretário particular de Jorge Mario Bergoglio, o sacerdote maltês Alfred Xuereb (foto), em um encontro informal com jornalistas à margem da audiência privada entre o Pontífice e o primeiro-ministro italiano, Enrico Letta.

 
Fonte: http://goo.gl/PYTQE  

A reportagem é publicada no sítio Religión Digital, 04-07-2013. A tradução é do Cepat.

“Sua presença é um sinal para demonstrar que enquanto no norte estão os ricos, que ostentam e desperdiçam, ao mesmo tempo existe um sul que deixa tudo para buscar a sorte e, muitas vezes, encontra a morte”, sustentou Xuereb.

A primeira viagem de Francisco fora do Vaticano e dentro da Itália acontecerá na próxima segunda-feira, 8 de julho, quando o líder católico cumprirá uma visita pastoral à ilha que recebe todos os dias dezenas de imigrantes balseiros originários da África.

Em diversas ocasiões, Lampedusa despertou o interesse da imprensa pela falta de serviço de seus centros de detenção provisória, nos quais costumam permanecer amontoados centenas de clandestinos, antes de ser deportados para seus países.

Em razão da natureza da viagem, a Santa Sé comunicou que, durante a mesma, não participarão líderes políticos, nem líderes religiosos. Somente a prefeita Giuseppina Nicolini e o arcebispo de Agrigento, Francesco Montenegro.

De acordo com a programação detalhada da visita, o Papa partirá de sua residência vaticana, a casa Santa Marta, às 7h20min local com destino ao aeroporto de Ciampino, do qual voará até a ilha.

A aterrissagem em Lampedusa está prevista para as 9h15min local. De carro, Bergoglio irá até Cala Pisana, onde embarcará para alcançar o mar e em cujo trajeto será acompanhado por vários barcos de pescadores.

Já no mar, lançará uma coroa de flores em memória daqueles que perderam a vida nas embarcações. No porto de Punta Favaloro, do barco, saudará um grupo de imigrantes que estarão na costa.

Depois, celebrará uma missa no campo esportivo Arena e aproximadamente às 12h45min local retornará a Roma.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Xuereb disse que o Papa vai a Lampedusa para “chorar os mortos” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV