A viagem do Papa a Lampedusa

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Um gargarejo nos salvará? Enxaguar a boca e o nariz por 30 segundos com produtos de uso comum reduz muito a carga viral

    LER MAIS
  • Nós precisamos repensar radicalmente a forma como vivemos e trabalhamos

    LER MAIS
  • As duas faces perversas da informalidade: sobretrabalho e intermitência

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 03 Julho 2013

O Papa visitará Lampedusa numa viagem “discreta”. O motivo? Ficou comovido “com o recente naufrágio de uma embarcação” de imigrantes africanos. Por essa razão, na próxima segunda-feira, 8 de julho, o Papa Francisco se reunirá com os imigrantes e os moradores da ilha, lançará uma coroa de flores ao mar e celebrará uma missa, de acordo com o porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi.

A reportagem é de Giacomo Galeazzi e publicada no sítio Vatican Insider, 01-07-2013. A tradução é do Cepat.

Na segunda-feira, Francisco chamará a atenção do mundo para a emergência das migrações. No final de maio, o arcebispo de Agrigento, dom Francesco Montenegro, havia convidado Bergoglio para que visitasse a ilha. Francisco, que sempre se mostrou particularmente atencioso com os mais desprotegidos, enviou imediatamente uma resposta positiva. E assim, o Papa celebrará uma missa na praça esportiva para os imigrantes e para a população local.

Em 2013, os imigrantes que desembarcaram na costa italiana já são 7.913, quase o dobro em relação aos 4.019 que chegaram no mesmo período do ano passado. A maior parte dos casos foi registrada em Lampedusa (3.648 pessoas). Nos primeiros meses de 2012, os desembarques na ilha foram 1.021.

“O Papa Francisco – indica uma nota da Sala de Imprensa do Vaticano –, profundamente comovido com o recente naufrágio de uma embarcação que transportava emigrantes procedentes da África, no último de uma série de análogas tragédias, deseja rezar por aqueles que perderam a vida no mar, visitar os sobreviventes e os prófugos presentes, animar os moradores da ilha e fazer um chamamento à responsabilidade, a fim de que todos se encarreguem destes irmãos e irmãs sumamente necessitados. Dadas as circunstâncias particulares, esta visita será realizada da maneira mais discreta possível, também em consideração à presença dos bispos da região e das autoridades civis”.

“A Igreja de Agrigento acolhe com imensa alegria a notícia da visita do Papa Francisco”, respondeu o arcebispo da cidade siciliana, Francesco Montenegro, que também é presidente da Comissão da Conferência Episcopal da Itália que se ocupa das migrações.

“É um dom de graça extraordinária pelo qual agradecemos ao Senhor. A escolha da ilha de Lampedusa – acrescentou – é em si mesma uma mensagem forte que nos ajuda a ler a história com os olhos de Deus. Lampedusa é a terra de chegada de milhares de africanos que buscam uma vida digna na Itália e na Europa”.

“A presença do bispo de Roma em Lampedusa confirmará a comunidade cristã no exercício da caridade e da acolhida. É um evento histórico – observou – diante do qual devemos nos preparar intensa e espiritualmente para acolher esta inesperada surpresa. Encomendamos à Virgem do Porto Salvo a viagem do Papa e a comunidade de Lampedusa e Linosa, porque bendito é aquele que vem em nome do Senhor”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A viagem do Papa a Lampedusa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV