O diálogo inter-religioso não é competição, mas peregrinação rumo à verdade, defende Tauran

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Manifesto do Laicato em apoio aos bispos que subscreveram a “Carta ao Povo de Deus” com 1440 assinaturas no primeiro dia

    LER MAIS
  • Com mais de 1.500 assinaturas, Padres da Caminhada relançam mensagem de apoio à Carta ao Povo de Deus dos bispos

    LER MAIS
  • “A pandemia viral é o resultado da pandemia psicológica e espiritual”, afirma Gastón Soublette

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 07 Mai 2013

“Os crentes sabem que ‘não só de pão vive o homem’, estão conscientes de que devem oferecer uma contribuição específica na vida cotidiana e que o devem fazer juntos, não como competidores, mas como peregrinos rumo à verdade”. A afirmação é do cardeal Jean-Louis Tauran, presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, que participou do terceiro encontro dos bispos e delegados das Conferências Episcopais da Europa que está acontecendo na cidade de Londres. Tauran e o Padre Miguel Angel Ayuso Guixot, secretário do Pontifício Conselho, assinaram a mensagem que, por ocasião da festividade de Vesakh, esse dicastério dirige anualmente aos seguidores do budismo.

A reportagem é de Luca Rolandi e publicada no sítio Vatican Insider, 02-05-2013. A tradução é do Cepat.

Vesakh é a principal festividade budista que recorda os três momentos fundamentais da vida de Gautama Buda. Segundo a tradição, o Buda histórico nasceu, obteve a iluminação e desapareceu alcançando o Nirvana durante a lua cheia do mês de maio. É, portanto, uma festividade móvel que este ano cai no dia 25 deste mês. Nestes dias, os seguidores do budismo decoram seus lares com flores e os perfumam com incenso, visitam os templos locais, ouvem os ensinamentos dos monges e lhes oferecem doações. A mensagem deste ano se intitula “Cristãos e budistas juntos no amor, na defesa e promoção da vida humana”.

“Em nome do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso – diz a mensagem – quero manifestar a todos as minhas mais sinceras saudações e bons desejos por ocasião da celebração da festa de Vesakh que, para nós cristãos, oferece a oportunidade de renovar o diálogo amistoso e nossa estreita colaboração com as diferentes tradições que vocês representam”.

“O Papa Francisco, no começo de seu ministério, reafirmou a necessidade do diálogo e da amizade entre os seguidores de diferentes religiões, assinalando que ‘a Igreja está [...] consciente da responsabilidade que todos temos com o nosso mundo, com a criação inteira que devemos amar e cuidar’. E – acrescenta a mensagem do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso – podemos fazer muito pelo bem dos que são mais pobres, dos mais fracos, dos que sofrem, para promover a justiça, a reconciliação e para construir a paz”.

Além disso, o dicastério vaticano recordou: “Queridos amigos budistas, o seu primeiro preceito ensina a se abster de destruir a vida de todos os seres que sentem proibindo que alguém se mate ou mate os outros. Os cristãos creem que o núcleo do ensino moral de Jesus é duplo: o amor a Deus e o amor ao próximo. Jesus disse: ‘Como meu Pai me amou, assim eu amo vocês. Permaneçam no meu amor’. E o quinto mandamento cristão, ‘não matarás’, está em perfeita harmonia com o primeiro preceito de vocês”.

Por isso, termina a mensagem, “continuemos trabalhando com compaixão e fraternidade renovadas para aliviar o sofrimento da família humana, tutelando a santidade da vida humana. Com este espírito lhes renovo meus melhores desejos para uma festa de Vesakh pacífica e alegre”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O diálogo inter-religioso não é competição, mas peregrinação rumo à verdade, defende Tauran - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV