Força Nacional reforça tropa em Belo Monte

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que muda (para pior) no financiamento do SUS

    LER MAIS
  • Ou isto, ou aquilo

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia aumenta 212% em outubro deste ano, aponta Imazon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

25 Março 2013

O governo federal decidiu reforçar a presença da Força Nacional de Segurança Pública na usina de Belo Monte, no Pará, depois do agravamento dos distúrbios com índios, operários e agricultores. Por meio de portaria publicada ontem no 'Diário Oficial' da União, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, autorizou o envio de tropas por 90 dias, prorrogáveis pelo tempo que for necessário.

A reportagem é de Vannildo Mendes e publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 26-03-2013.

A medida foi requerida pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e o objetivo básico, conforme a portaria, é evitar a paralisação das obras, coibir os piquetes que impedem a entrada de funcionários e reprimir o bloqueio de estradas próximas aos canteiros. A pedido da Secretaria Especial da Mulher, os policiais vão também combater o tráfico de mulheres para prostituição, que se intensificou perto de Belo Monte e de outras hidrelétricas na Amazônia.

A decisão, segundo a coordenadora do Movimento Xingu Vivo para Sempre, Antonia Melo, "escandalizou" os movimentos sociais. Para ela, é uma maneira de "reprimir" manifestações de luta por direitos. Antonia disse que "usar a Força Nacional é virar as costas às manifestações populares das comunidades indígenas e ribeirinhas cujos direitos não vêm sendo atendidos".

Mobilização. Na prática, a Força já atua na Amazônia desde os primeiros distúrbios, há dois anos, com a construção das Hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, no Rio Madeira e mais recentemente em Belo Monte, no Rio Xingu. No pico, o governo chegou a mobilizar mais de 500 homens na região.

A missão original da presença federal era proteger a integridade física dos manifestantes, índios e colonos. A portaria de ontem, além de regulamentar a presença da tropa na região, redireciona seu papel, que passa a ser basicamente o de assegurar o direito de ir vir e a segurança das instalações nas obras, consideradas prioritárias no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC).

Treinamento

A Força tem 7.500 homens treinados para intervenção em qualquer ponto do País, recrutados entre os quadros de ponta das polícias militar e civil e bombeiros dos Estados. Um grupo de 1,5 mil homens fica de prontidão na cidade goiana de Luziânia, a 50 quilômetros de Brasília, para pronto emprego em situações de emergência.

Segundo a portaria, a presença da tropa no Pará tem por objetivo "garantir incolumidade das pessoas e do patrimônio e a manutenção da ordem pública nos locais em que se desenvolvem as obras, demarcações, serviços e demais atividades atinentes ao Ministério de Minas e Energia". O cronograma do governo prevê para 2019 a entrada em operação da hidrelétrica.

Protestos

Belo Monte teve suas obras iniciadas em 2011, a cargo da Norte Energia. Desde o início, a usina é alvo frequente de protestos de movimentos sociais, indígenas e trabalhadores rurais locais. Em várias ocasiões, houve invasões de canteiros, destruição de equipamentos e interrupção das obras.

Na semana passada, ribeirinhos e indígenas ocuparam o canteiro de Pimental, um dos quatro de Belo Monte. Foi o segundo protesto na usina só este ano. Em 2012, houve quebra-quebra nos alojamentos e escritórios do mesmo canteiro e, há um mês, operários tocaram fogo em dependências internas. A polícia prendeu um trabalhador em cujo armário foram encontradas bananas de dinamite.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Força Nacional reforça tropa em Belo Monte - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV