Papa e diretor do Banco da Inglaterra pedem um sistema econômico mais humano

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Como as lideranças católicas ajudaram a dar origem à violência no Capitólio dos EUA. Artigo de James Martin

    LER MAIS
  • “O trumpismo se infiltrou na Igreja Católica dos Estados Unidos”. Entrevista com Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Irlanda, 9 mil crianças mortas em casas para mães solteiras: o 'mea culpa' de Dublin sobre 76 anos de maus-tratos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


21 Julho 2014

O Papa Francisco e o diretor do Banco de Inglaterra reiteraram nessa semana que a pessoa humana deve estar no centro da economia global.

A reportagem é de Abigail Frymann Rouch, publicada na revista The Tablet, 17-07-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Francisco estava se dirigindo a um congresso a portas fechadas, organizado pelo Pontifício Conselho Justiça e Paz, em Roma. As suas considerações foram depois ecoadas em uma declaração assinada por quase 70 especialistas financeiros, incluindo Mark Carney.

Carney participou ao lado do Nobel da Paz Muhammad Yunus, do economista norte-americano Jeffrey Sachs e do chefe da Caritas Internationalis, Michel Roy.

O congresso de dois dias, intitulado "O bem comum global: rumo a uma economia mais inclusiva", se baseou nas ideias do Papa Francisco na exortação apostólica Evangelii gaudium.

Francisco, que se juntou aos participantes para o almoço do sábado, instou-lhes a ajudarem a reverter a atual cultura do "descartável" e a colocar as pessoas no centro – não nas margens – das estratégias e das políticas monetárias.

Os participantes emitiram uma declaração conjunta, que dizia que as reformas da economia global e do sistema financeiro em particular eram bem-vindas, mas "devem ir muito mais longe".

"Temos que colocar as pessoas e o seu bem-estar no centro da nossa vida econômica e política", escreveram. Os signatários reconheceram a contribuição das mulheres e dos trabalhadores rurais, e expressaram o seu apoio à "biodiversidade" de "empresas com fins lucrativos, cooperativas, entidades produtivas sem fins lucrativos, bancos e empresas éticas ou sustentáveis, negócios sociais e assim por diante".

Um representante de Carney disse que ele estava participando do congresso na sua qualidade de presidente do Conselho de Estabilidade Financeira, com sede em Basel, que foi criado em 2009 no rastro da crise financeira global.

Ele acrescentou que os pontos de vista endossados por Carney eram consistentes com aqueles que ele expressou em um congresso sobre capitalismo inclusivo, realizado em Londres, em maio.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa e diretor do Banco da Inglaterra pedem um sistema econômico mais humano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV