“A economia neoliberal mata mais pessoas que todos os exércitos do mundo juntos”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa obriga os futuros núncios a passar pelo menos um ano como missionários

    LER MAIS
  • O esgotamento do desenvolvimento: a confissão da Cepal. Artigo de Eduardo Gudynas

    LER MAIS
  • Um dicionário de teologia de acordo com a sensibilidade contemporânea. Artigo de Gianfranco Ravasi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Caroline | 04 Julho 2014

O economista chileno Max Neef (foto, à esquerda) apresenta no programa La Tuerka seu último livro “La economía desenmascarada”, e critica que “em todas as épocas, as teorias econômicas que acabaram por impor-se são as que favorecem os ricos”.

A reportagem é publicada por Público.es, 03-07-2014. A tradução é do Cepat.

Fonte: http://goo.gl/lxJNu1

“Em todas as épocas, as teorias econômicas que acabaram por se impor são as que favorecem aos ricos; as demais ficaram debaixo do tapete”, defendeu no programa La Tuerka, da Público TV, o economista e ambientalista chileno Max Neef.

Neef, Prêmio Nobel alternativo da Economia, criticou que a economia que se pratica hoje “é a neoclássica em sua versão do neoliberalismo, própria do século XIX” e que a teoria  que é ensinada para os estudantes é de quase duzentos anos. “Ensinam a eles como resolver problemas com teorias do século XIX”, disse. “Por detrás da economia não há ciência alguma. Está cheia de truques porque, cada vez que surge um problema, inventam uma maneira de disfarça-lo”.

O chileno assinalou, mesmo assim, alguns dos postulados de sua proposta para uma economia coerente do século XXI que defende em seu último livro: “La economía desenmascarada”, que apresentou no La Tuerka. Entre eles encontra-se: a economia está para servir as pessoas e não vice-versa; o desenvolvimento tem a ver com pessoas e não com objetos; e nenhuma economia é possível à margem dos serviços que apresentam aos ecossistemas. “Hoje em dia ocorre todo o contrario”, afirmou. “A economia que se pratica mata mais pessoas que todos os exércitos do mundo juntos”, acrescentou.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“A economia neoliberal mata mais pessoas que todos os exércitos do mundo juntos” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV