Luteranos pesquisam época do nazismo e fazem um "mea culpa"

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco condena perseguição antigay e está preocupado com “cura gay”

    LER MAIS
  • Católicos e anglicanos - Trabalhar juntos para bem da humanidade, diz secretário do Vaticano

    LER MAIS
  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Março 2014

A Igreja Evangélica da Alemanha do Norte, uma das 22 igrejas regionais (Landeskirche) que integram a Igreja Evangélica Alemã (EKD, a sigla em alemão), incumbiu o historiador Stephan Linck de pesquisar a herança que o apoio da denominação ao regime nazista deixou no pós-guerra.

A informação é publicada pela Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação - ALC, 12-03-2014.

Linck publicou, recentemente, "Novo início? A relação da Igreja Evangélica com o seu passado nazista e com o judaísmo. As igrejas regionais no norte do Elba, 1945-1065", o primeiro de dois volumes sobre o tema, editado pela casa publicadora da própria igreja.

Não é o primeiro "mea culpa" da igreja regional. Em 1998, a Igreja Evangélica da Alemanha do Norte publicou declaração por ocasião do cinquentenário da Noite dos Cristais. Mostra sobre o assunto, realizada em vários locais entre 2001 e 2007, gerou profunda discussão, pois evidenciou a cumplicidade da Igreja Evangélica na perseguição aos judeus.

A pesquisa ora em andamento quer saber "como a Igreja Evangélica mudou depois do nazismo e como foi possível que, ao longo das décadas, o tema nunca foi abordado criticamente", disse Linck em entrevista à repórter Andrea Galli, do jornal Avvenire, dos bispos italianos.

Linck revelou que o apoio protestante a Adolf Hitler foi enorme "porque ele havia removido a República, que era vista como uma entidade a-religiosa", explicou o historiador. Os luteranos, em particular, rejeitaram a República porque ela levou à renúncia do Kaiser e rei da Prússia, que era tido como autoridade luterana.

Os nazistas, relatou Linck, propagandeavam um 'cristianismo positivo', voltado negativamente apenas contra os judeus, "e isso encontrou o favor dos luteranos". O historiador considera triste o fato de uma análise crítica dessa parte da história da igreja protestante tenha começado tão tarde.

Veja também:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Luteranos pesquisam época do nazismo e fazem um "mea culpa" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV