Francisco, “de super-herói a ícone pop”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “O Óbolo de São Pedro foi usado para pagar um imóvel em Londres”: a investigação sobre o cardeal Becciu

    LER MAIS
  • Estas são as razões do ‘adeus’ do (ex-)cardeal Angelo Becciu

    LER MAIS
  • Pantanal: “Já queimaram uma área tão grande que os bichos não têm mais para onde correr”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 30 Janeiro 2014

Fonte: http://bit.ly/1lmb0ow

“Para mim, o Papa é um super-herói, um ícone pop”. São palavras de Mauro Pallotta, até poucas horas artista talentoso, mas desconhecido do grande público. De um momento para o outro atraiu a atenção do mundo graças a um graffiti feito em menos de duas horas. Da sua criatividade e de suas mãos saiu a imagem de Francisco estilo Superman ou Homem Aranha que se espalhou pelas redes sociais.

Localizado no Borgo Pío, a poucos metros da Praça São Pedro, o graffiti atrai a atenção de turistas e curiosos que aproveitam para tirar uma fotografia com ele. Em entrevista ao Vatican Insider, o pintor e escultor, especialista em Street art, confessou sua incredulidade diante do impacto da sua obra e expressou seu desejo de presentear o esboço original do desenho a Jorge Mario Bergoglio.

A entrevista é de Andrés Beltramo Alvarez e publicada no sítio Vatican Insider, 29-01-2014. A tradução é de André Langer.

Eis a entrevista.

Por que este graffiti do Papa?

Para mim este Papa é um super-herói, como os super-heróis da Marvel, que são metáforas da mitologia grega. Neste caso falamos de mitologia moderna. Francisco é um super-herói que tem poder e o usa para o bem do povo. Por isso é muito “pop”. Tem na mão uma pasta com os valores cristãos e um cachecol com as cores do San Lorenzo; isso o faz ser mais humano. É humano, é humilde, mas é um super-herói.

Como lhe ocorreu esta ideia?

Veio-me à mente quando estava olhando as caricaturas e estava com a televisão ligada. Foi uma conexão imediata. Super-herói nas minhas mãos e super-herói o Papa. Então comecei a trabalhar num desenho do Papa como um super-herói. Depois fiz um esboço pequeno, depois um maior sobre um papel, que recortei e vim colar aqui.

Então não é um graffiti verdadeiro?

Não, porque não queria estragar a parede. Este é um prédio histórico. O fiz em papel e pode ser tirado a qualquer momento; assim respeita a ecologia. Com o tempo vai ficar manchado, não sei quanto tempo durará, mas caso chover muito vai durar pouco tempo. Mas está protegido.

Você pediu permissão?

Não, é ilegal (ri). Colei-o aqui porque está perto do Vaticano. Para fazer o desenho no papel demorei cerca de duas horas, quase o mesmo tempo para afixá-lo aqui. Pouco tempo.

Pensou em que teria toda esta atenção midiática?

Sinceramente não. Para mim, tudo isso é novo. Amanhã vou poder dizer algo sobre isso, mas agora não entendo nada. Gostaria de presentear o desenho original ao Papa, é uma pintura pequena, embora ainda não tenha nenhum contato com o Vaticano.

A imagem do graffiti está nas redes e alguns católicos não se mostraram muito contentes com o retrato, se sentirão ofendidos porque pensam que o Papa não pode ser um super-herói. O que pensa disso?

Eu o fiz por estima ao Papa e jamais para insultá-lo. Um super-herói para mim é sempre positivo, não consigo ver a fase negativa de uma coisa deste tipo. Não se contenta todo o mundo. Da minha parte estou contentíssimo de tê-lo feito, talvez com uma atenção um pouco exagerada.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco, “de super-herói a ícone pop” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV