Slow Food: "Não reconhecer a importância da relação entre alimento e clima é uma falha grave"

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Desigualdade. Artigo de Ladislau Dowbor

    LER MAIS
  • Segredo, confissão e abuso: Cardeal Federigo, o Inominado e Lúcia. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS
  • “É preciso afastar Bolsonaro já para parar a matança”. Entrevista com Chico Whitaker

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


25 Novembro 2015

Dentro de poucos dias, os governos do mundo inteiro se reunirão em Paris para falar sobre mudanças climáticas. Depois de mais de 20 anos de debates, negociações e fóruns fracassados, a conferência de Paris (COP 21) tentará concluir, pela primeira vez, um acordo vinculante e universal.

A reportagem foi publicada por EcoDebate, 24-11-2015.

Nas 54 páginas do texto das negociações - versão em inglês -, porém, o termo “agricultura” está totalmente ausente, embora o tema da segurança alimentar seja mencionado muitas vezes. Uma lacuna gravíssima, segundo o Slow Food.

A ausência dessa palavra significa relegar às margens do debate uma questão que, ao contrário, é fundamental: a relação entre alimentos e clima. Dependendo do sistema de referência, a agricultura, a pecuária e a produção de alimentos podem representar várias coisas: de um lado, uma das principais causas das mudanças climáticas; de outro, uma das vítimas; de outro ainda, uma das soluções possíveis. O fato da atenção estar voltada para os segmentos de energia, indústria pesada e transportes significa não reconhecer o papel-chave da agricultura.

Por isso, o Slow Food lança aos representantes dos países e das instituições internacionais reunidos em Paris, o apelo “Deixemos de carcomer o clima”, para que a agricultura seja posta no centro do debate.

Este apelo nasceu da necessidade de ressaltar o fato de que somente através de uma mudança radical de paradigma no atual sistema de produção, processamento, distribuição, consumo e eliminação dos alimentos, será possível mitigar as mudanças climáticas.

Ao mesmo tempo, à luz dos ataques terroristas em Paris e com a decisão das autoridades de segurança pública para cancelar a Marcha pelas Mudanças Climáticas prevista para 29 de novembro, o Slow Food, com o respaldo do Presidente Internacional Carlo Petrini, apóia o pedido da sociedade civil para não ceder ao medo e expressar com a mobilização de pessoas nas ruas a necessidade de lutar contra a injustiça, a pobreza, a desigualdade e o desastre ecológico causados também pelas consequências das alterações climáticas objeto de discussão na COP21.

É cada vez mais urgente restituir o valor do alimento, reduzindo o desperdício, promovendo práticas agroecológicas, favorecendo as cadeias curtas de produção.

Se, ao contrário, continuar prevalecendo o modelo agroalimentar industrial moderno – baseado no uso crescente de derivados do petróleo, produção de grande escala e exploração indiscriminada de recursos naturais – não só não será possível inverter a tendência, mas a influência sobre a temperatura média, que segundo o Quinto Relatório do IPCC já registrou um aumento de 0,85°C nos últimos cem anos, será cada vez mais negativa.

O modelo agroalimentar industrial moderno fundamenta-se na ideia de crescimento infinito, mas os recursos do nosso planeta são finitos. Harmonizar essa consciência com os números da população mundial, que devem chegar a 9 bilhões até 2050, é um dos desafios mais importantes que temos pela frente. Por isso, através do apelo que o Slow Food convida todos a assinar, pedimos que os países e as instituições reunidas em Paris promovam políticas internacionais eficazes, visando mudar radicalmente o atual sistema alimentar.

Baixe o apelo Deixemos de carcomer o clima.

Assine você também, façamos ouvir a nossa voz.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Slow Food: "Não reconhecer a importância da relação entre alimento e clima é uma falha grave" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV