"A doutrina cristã é viva. A nossa fé é revolucionária", exorta Francisco em Florença

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que deve ser cancelado? Eis a questão

    LER MAIS
  • Cardeal Luis Antonio Tagle: a melhor nomeação do papa

    LER MAIS
  • CNBB emite nota sobre o desrespeito à fé cristã

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Novembro 2015

O Papa Francisco convidou a Igreja Católica a uma constante renovação e alertou contra uma fuga do mundo em sentido conservador. Ele disse isso perante cerca de 2.500 delegados do Congresso Nacional da Igreja Italiana na catedral de Florença.

A reportagem é da Katholische Nachrichten Agentur (KNA), 10-11-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

"Diante dos males ou dos problemas da Igreja, é inútil buscar soluções em conservadorismos e fundamentalismos, na restauração de condutas e formas superadas que nem sequer culturalmente têm a capacidade de serem significativas", disse Francisco.

"A doutrina cristã não é um sistema fechado, incapaz de gerar perguntas, dúvidas, interrogações, preocupações, dúvidas, mas é viva, sabe inquietar e animar." O papa advertiu a Igreja contra a tentação de cair na defensiva por medo de perder alguma coisa.

Ele repetiu a sua já famosa frase, dizendo que prefere uma Igreja suja e acidentada, por estar em saída pelas ruas, do que uma Igreja doente por estar trancada.

Como pilares do futuro da Igreja, Francisco indicou humildade, renúncia a interesses pessoais e a tensão à bem-aventurança, sentimentos que foram vividos por Jesus. De acordo com as palavras do papa, esses sentimentos se realizam no abaixamento no serviço ao próximo, em particular aos pobres, e não em colocar a própria confiança em estruturas tradicionais. "O nosso dever é trabalhar para tornar este mundo um lugar melhor e lutar."

O Papa Francisco falou expressamente da "opção pelos pobres", um conceito que vem da teologia da libertação latino-americana. "A nossa fé é revolucionária por um impulso que vem do Espírito Santo." O amor ao próximo e a oração são as chaves de um humanismo cristão.

O papa convidou a Igreja italiana ao diálogo com todas as forças sociais. "Dialogar não é negociar", disse. A Igreja deve, antes, se orientar para construir juntos o bem da sociedade com as forças políticas, econômicas, tecnológicas e das mídias.

"A nação não é um museu, mas uma obra coletiva em permanente construção, em que devem ser postas em comum justamente as coisas que diferenciam, incluindo os pertencimentos políticos e religiosos."

O 5º Congresso Nacional da Igreja Italiana se reúne entre os dias 9 e 13 de novembro de 2015, em Florença, sobre o tema: "Em Jesus Cristo, um novo humanismo".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"A doutrina cristã é viva. A nossa fé é revolucionária", exorta Francisco em Florença - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV