Direita, esquerda e refugiados

Revista ihu on-line

Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

Edição: 531

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

Edição: 531

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

Mais Lidos

  • Republicanismo, a doença infantil do neopetismo

    LER MAIS
  • “Igreja vê com muito sofrimento este momento triste do Brasil”. Entrevista com D. Roque Paloschi

    LER MAIS
  • ''O sexo é rebelde contra o homem assim como o homem a Deus''

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

10 Setembro 2015

Desenvolvi um teste caseiro para determinar a diferença entre direita e esquerda. O experimento consiste em uma única pergunta: como você se posicionaria se seu país decidisse receber mais refugiados?

A direita, invariavelmente, se posicionará contra a ideia, com variados graus de ênfase ou condicionando uma resposta positiva a um rosário de “se”: se outros países também fizerem a sua parte, se os refugiados forem arianos e torcedores do Barcelona, se mostrarem conhecimento da língua nacional (a ex-governadora do Alasca Sarah Palin acha que os migrantes têm de falar “americano”). A esquerda, por sua vez, dirá que refugiados são bem-vindos e que o benefício da acolhida para todos será infinitamente maior que privações ou embaraços a serem porventura criados pela sua chegada.

O comentário é de Luiz Antônio Araujo, publicado pelo jornal Zero Hora, 10-09-2015.

Espíritos meticulosos considerarão o procedimento insuficiente. De minha parte, não acredito que descobrir se alguém é de direita ou de esquerda exija uma prova ao estilo Enem ou Enade. E, mesmo ainda não tendo aplicado o teste – afinal, acabei de criá-lo –, arrisco-me a baralhar algumas hipóteses. Creio, por exemplo, com razoável grau de segurança, que o indivíduo que decepou a mão de uma moradora de rua em Porto Alegre é de direita. A jovem alemã que distribui praetzels aos sírios numa cidade bávara é de esquerda. Quem agride frentista haitiano é de direita. O papa Francisco é de esquerda. E assim por diante.

Faça o teste. Funciona.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Direita, esquerda e refugiados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV