''O papa vê o futuro da Igreja na Ásia'', afirma cardeal Tagle

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • 23 razões para participar da Greve Climática desta sexta-feira

    LER MAIS
  • Às leitoras e aos leitores

    LER MAIS
  • Cisma: uma noção que mudou ao longo dos séculos. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Julho 2015

A primeira conferência pan-asiática de teólogos moralistas católicos terminou com uma nota alta na segunda-feira, quanto um importante prelado revelou que o Papa Francisco tem grandes esperanças nas Igrejas do continente. O cardeal Luis Antonio Tagle disse que pediu ao papa para removê-lo de dois cargos de recente nomeação, mas "ele me disse que o futuro da Igreja está na Ásia".

A reportagem é de Jose Kavi, publicada no sítio Matters India, 21-07-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O cardeal filipino falou na sessão de encerramento do congresso realizado nos dias 18 a 20 de julho, no Dharmaram Vidya Kshetram (DVK, templo do jardim do conhecimento das virtudes), o Ateneu Pontifício de Filosofia, Teologia e Direito Canônico em Bangalore, no sul da Índia.

A prelado de 58 anos foi nomeado como chefe da Cáritas Internacional e da Federação Bíblica Católica em um período de dois meses. Ele disse que pediu ao papa para tirá-lo dos cargos, porque ele não era nem um homem da Cáritas nem um biblista.

Em meio aos aplausos de cerca de 100 teólogos de todo o mundo e centenas de seminaristas e professores do DVK, o cardeal Tagle advertiu-os de que a expectativa papal em relação às Igrejas asiáticas não é uma honra, mas uma questão de grande responsabilidade.

"Por favor, não aplaudam, não é uma questão de honra. É um desafio, uma profecia ou um grande chamado, não sabemos. Mas certamente é uma questão de grande responsabilidade, uma grande missão."

O cardeal asiático disse que as Igrejas da região devem levar a sério "a nossa missão e buscar formas para podermos contribuir com a Igreja em nível mundial, em termos de reflexão, pesquisa e melhores práticas".

O prelado também observou que a vida da Igreja está se movendo para regiões como a África, a Ásia e a Oceania.

"Lugares de profundo sofrimento e dor tornaram-se o centro de gravidade da vida e da reflexão da Igreja", observou o cardeal Tagle, enquanto falava sobre o tema "Igreja e liderança em um contexto asiático cross-cultural e inter-religioso".

O congresso que escolheu como seu tema "Fazer ética teológica católica em um contexto asiático cross-cultural e inter-religioso" lidou também com uma infinidade de questões que confrontam a região, como a violência sexual contra as mulheres, a migração forçada, o fundamentalismo religioso, as ameaças à democracia, o turismo de fertilidade e a grilagem de terras.

O DVK fez uma parceria com a rede Catholic Theological Ethics in the World Church (CTEWC) e o seu Comitê Regional Asiático para organizar o congresso.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

''O papa vê o futuro da Igreja na Ásia'', afirma cardeal Tagle - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV