"O papa me agradeceu porque eu permiti que ele fosse pároco"

Revista ihu on-line

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Mais Lidos

  • Comunhão na Igreja dos EUA ''já está fraturada''. Entrevista com Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Vozes que desafiam. A vida de Simone Weil marcada pelas opções radicais

    LER MAIS
  • A disrupção é a melhor opção para evitar um desastre climático, afirma ex-presidente irlandesa

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

20 Maio 2017

O pároco de Stella Maris, de Ostia, afirma ao telejornal Tg2000 depois da visita de Francisco: “As pessoas choraram de alegria. Faz uma semana que eu não durmo à noite. Fiquei espantado com o fato de que o papa me agradeceu porque eu permiti que ele fosse pároco. É o cúmulo”.

A reportagem é publicada por Tv2000, 19-05-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Foi o que disse o pároco da paróquia Stella Maris, de Ostia, Pe. Plinio Poncina, em uma entrevista ao Tg2000, o telejornal do canal Tv2000, comentando a visita-surpresa do Papa Francisco na tarde dessa sexta-feira.

“Eu soube da chegada do papa – contou o Pe. Plinio – há uma semana e comecei a não dormir mais à noite. Pensar que o papa vem até você para ser pároco é algo que surpreende o coração. É como se ele viesse para encorajá-lo, dizendo: ‘O seu trabalho é aquele com que eu sonho’. Eu ainda posso ouvir o papa que me cumprimentou e disse: ‘Obrigado’.”

“As pessoas choraram”, continuou o pároco. “Estavam tão felizes que não acreditavam nos seus olhos. Elas não esperavam que o papa também participaria do encontro dessa tarde. Só souberam uma hora antes. Uma freirinha disse: ‘Posso entender quem é o papa?’, citando uma frase de Santa Catarina da Siena: ‘Doce Cristo aqui na terra’. E todas as crianças em preparação à Primeira Comunhão disseram e cantaram ao papa esta frase de Pedro: ‘Tu sabes que eu te amo’.”

“O papa – concluiu o Pe. Plinio – viu em um instante a situação particular de cada pessoa. E, quando conseguiu entender, disse a palavra mais adequada, como um pároco sabe fazer com os seus paroquianos. Ele consolou cada família e encorajou a todos. Eu vi nos seus olhos lágrimas de alegria. Foi um verdadeiro diálogo em comunhão. O papa colocou em prática aquilo que ele habitualmente diz e assumiu todas as situações que encontrou.”

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"O papa me agradeceu porque eu permiti que ele fosse pároco" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV