EUA. Apoio ao casamento homoafetivo está em alta entre protestantes negros em 2013, e em baixa entre evangélicos brancos

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • A fantasia de Deus. Leonardo Boff e o Espírito Santo

    LER MAIS
  • As feridas cada vez mais abertas. As acusações da Unicef e da Oxfam

    LER MAIS
  • A crise energética, a escolha europeia, e a “reviravolta russa”. Artigo de José Luís Fiori

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


25 Março 2014

 

A tensão de longa data entre as crenças religiosas e a ideia de casamento homoafetivo tem sido um fator-chave em jogo por detrás dos projetos de lei recentemente apresentados em vários estados dos EUA, mais claramente no Arizona. Ao mesmo tempo, no entanto, novas informações do Centro de Pesquisas Pew, de 2014, mostram que, apenas no último ano, cresce o número de grupos cristãos a favor do casamento de gays e lésbicas.

A reportagem é de Michael Lipka e Elizabeth Sciupac, publicada pela Pew Research Center, 21-03-2014. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

A mudança mais acentuada ocorreu entre os protestantes negros, dos quais somente 32% foram a favor do casamento homoafetivo na pesquisa agregada de 2013. Uma enquete feita pelo nosso centro – Centro de Pesquisas Pew – no mês passado descobriu que este número subiu para 43%.

Houve também um aumento no apoio ao casamento homoafetivo entre os protestantes históricos brancos (de 55% em 2013 para 62% em 2014). Estão ocorrendo debates dentro de algumas igrejas históricas sobre a aceitação de casamentos homoafetivos.

Talvez refletindo a mudança de opinião do laicato, o principal bispo da Igreja Metodista Unida, em Nova York, anunciou semana passada que irá dar fim nos processos em sua região envolvendo os ministros que oficializam casamentos homoafetivos contra a doutrina da igreja. Mas outros líderes da denominação não parecem prontos a tomar tais passos: na semana passada, queixas formais foram registradas a pedido do Conselho dos Bispos contra um bispo emérito que realizou um casamento de dois homens do estado do Alabama, em outubro.

Embora as mudanças entre os católicos no ano passado não tenham sido significativas do ponto de vista estatístico, o apoio a casamentos do mesmo sexo aumentou entre eles durante os últimos anos. Cerca de 6 de cada 10 católicos americanos (59%) agora são a favor do casamento homoafetivo.

Apesar de um aumento modesto durante a década passada, os protestantes evangélicos brancos são a principal exceção à mais recente tendência de apoio para o casamento gay. A nova pesquisa descobriu que 23% deste grupo apoia o casamento homoafetivo, na mesma proporção do ano passado.

As mudanças – ou a ausência delas – entre estes grupos vêm em meio a uma paisagem jurídica levemente modificada. Desde o início de 2013, oito estados legalizaram o casamento homoafetivo e a Suprema Corte dos EUA derrubou uma parte fundamental da Lei de Defesa do Matrimônio, exigindo que o governo federal reconheça os casamentos homoafetivos de 17 estados onde eles são legais (além da capital do país, o Distrito de Columbia). Recursos judicias pendentes poderiam levar o casamento homoafetivo à legalidade em muitos outros estados.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

EUA. Apoio ao casamento homoafetivo está em alta entre protestantes negros em 2013, e em baixa entre evangélicos brancos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV