Papa Francisco aos participantes da Assembleia Eclesial: escutar a Deus e, ao mesmo tempo, os pobres e esquecidos

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Para ser ouvida, a Igreja precisa mudar de método. Entrevista com Jean-Claude Hollerich, relator do próximo Sínodo

    LER MAIS
  • Impulso feminino no neofascismo cristão de Bolsonaro: quatro cenas recentes de início do ano eleitoral

    LER MAIS
  • A Europa e a guerra da Ucrânia. Artigo de Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Novembro 2021

 

“Impulsar uma Igreja em saída sinodal, reavivar o espírito da V Conferência Geral do Episcopado que, em Aparecida em 2017, nos convocou a sermos discípulos missionários”. É assim que o Papa Francisco vê a Assembleia Eclesial da América Latina que iniciou neste domingo 21 de novembro.

 

A reportagem é de Luis Miguel Modino.

 

Agradecendo a presença daqueles que participam da Assembleia, que define como “uma nova expressão do rosto latino-americano e caribenho da nossa Igreja, em sintonia com o processo preparatória da XVI Assembleia geral do Sínodo dos Bispos”. Na sua breve reflexão, o Santo Padre remete aos “pontos chave que vertebram e orientam a sinodalidade: comunhão, participação e missão”.

O Papa Francisco reflete em base a duas palavras: escuta e desborde. Ele, falando da escuta, insiste em que “o dinamismo das assembleias eclesiais está no processo de escuta, diálogo e discernimento”. Isso é fruto do intercambio, que “facilita ‘escutar’ a voz de Deus até escutar com Ele o clamor do povo, e escutar o povo até respirar nele a vontade à qual Deus nos chama”. O Santo Padre pede aos membros da Assembleia, se escutar mutuamente e escutar os clamores dos mais pobres e esquecidos.

Falando do desborde, o Papa Francisco reflete sobre o discernimento comunitário, que leva a “poder encontrar juntos a vontade de Deus”, superando divisões e polarizações. Partindo do “desborde” do amor criativo de seu Espírito, Deus “nos impulsa a sair sem medo ao encontro dos outros”, a ser uma Igreja “mais evangelizadora e missionária”, insiste o Papa.

 

Mensagem do Papa Francisco

 

Aos participantes na Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe, Cidade do México, 21 a 28 de novembro de 2021

 

Saúdo cordialmente aos participantes na Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe, que será realizada de 21 a 28 de novembro na Cidade do México com o desejo de impulsar uma Igreja em saída sinodal, reavivar o espírito da V Conferência Geral do Episcopado que, em Aparecida em 2017, nos convocou a sermos discípulos missionários, e animar a esperança, vislumbrando no horizonte o Jubileu Guadalupano em 2031 e o Jubileu da Redenção em 2033.

Agradeço-lhes sua presença nesta Assembleia, que é uma nova expressão do rosto latino-americano e caribenho da nossa Igreja, em sintonia com o processo preparatória da XVI Assembleia geral do Sínodo dos Bispos que tem como tema: “Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”. Em base a estes pontos chave que vertebram e orientam a sinodalidade – comunhão, participação e missão – gostaria refletir brevemente sobre duas palavras para que as tenham em conta de modo especial neste caminho que estão fazendo juntos.

A primeira palavra é “escuta”. O dinamismo das assembleias eclesiais está no processo de escuta, diálogo e discernimento. Numa assembleia, o intercambio facilita “escutar” a voz de Deus até escutar com Ele o clamor do povo, e escutar o povo ate respirar nele a vontade à qual Deus nos chama. Peço-lhes que procurem se escutar mutuamente e escutar os clamores de nossos irmãos e irmãs mais pobres e esquecidos.

A segunda palavra é “desborde”. O discernimento comunitário precisa de muita oração e diálogo para poder encontrar juntos a vontade de Deus, e também precisa encontrar caminhos superadores que evitem que as diferenças se tornem divisões e polarizações. Neste processo, peço ao Senhor que vossa Assembleia seja expressão do “desborde” do amor criativo de seu Espírito, que nos impulsa a sair sem medo ao encontro dos outros, e que anima a Igreja para que, por um processo de conversão pastoral, seja cada vez mais evangelizadora e missionária.

Queridos irmãos e irmãs, lhes animo a viver estes dias acolhendo com gratidão e alegria este chamado ao desborde do Espírito no Povo fiel de Deus que peregrina na América Latina e no Caribe. Que Jesus lhes bendiga e a Virgem Santa lhes cuide com sua proteção maternal. E, por favor, não esqueçam de rezar por mim.

Fraternalmente Francisco

Roma, São João de Latrão, 15 de outubro de 2021.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco aos participantes da Assembleia Eclesial: escutar a Deus e, ao mesmo tempo, os pobres e esquecidos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV