Biden quadruplica o número de refugiados admitidos por Trump e os bispos o aplaudem

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • “Estamos em uma crise civilizatória que começou antes da pandemia”. Entrevista com Raúl Zibechi

    LER MAIS
  • “Essa ideia do fim da história é uma invenção dos conservadores”. Entrevista com Thomas Piketty

    LER MAIS
  • O bispo de Tonga: “A Oceania está em risco. É hora de nos ouvirem”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


07 Mai 2021

 

O limite de refugiados admitidos nos Estados Unidos passará de 15 mil para 62,5 mil neste ano, uma atualização que é “um passo na direção correta para ajudar aqueles que mais necessitam”, segundo a USCCB.

A reportagem é de Rubén Cruz, publicada por Vida Nueva Digital, 05-05-2021.

Joe Biden quadruplica o limite de admissão de refugiados imposto pelo governo Trump. Os Estados Unidos passarão dos 15 mil aos 62,5 mil neste 2021, segundo informou o segundo presidente católico da história do país. Uma decisão que fez o sempre questionado democrata receber aplausos dos bispos estadunidenses.

Este aumento vem precedido de uma crítica da Igreja e outras instituições pró direitos humanos pela manutenção do limite da era Trump, que o deixou em mínimos históricos. Biden reconheceu que é pouco provável que se consiga chegar a 62,5 mil neste ano – até abril apenas 2 mil foram recebidos –, não obstante, já trabalha para aumentar a cifra até 125 mil pessoas em 2022.

Segundo o presidente, a escassa cifra de 15 mil “não refletia os valores dos Estados Unidos como nação que apoia os refugiados”.

 

Graças ao presidente

Por sua vez, a União de Conferências Episcopais dos Estados Unidos (USCCB), por meio do presidente do Comitê de Migração, Mario E. Dorsonville, elogiou o presidente, pois atualizar este limite é “um passo na direção certa para ajudar aqueles que mais precisam”.

Em seu escrito, o também bispo auxiliar de Washington insistiu que “como uma nação de imigrantes”, os Estados Unidos têm “a obrigação moral de ajudar nossos irmãos e irmãs em todo o mundo”. Pois, “por décadas, lideramos os números de realocação de refugiados”, acrescentou.

Dorsonville concluiu sua carta lembrando que “a Igreja Católica ensina que cada pessoa é criada à imagem de Deus e deve ser valorizada, protegida e respeitada pela dignidade inerente que possui. É mais importante do que nunca que nosso país continue a liderar enquanto tratamos dessa emergência humanitária”.

Atualmente, de acordo com os dados da ACNUR, há 26 milhões de refugiados em todo o mundo e mais de 47 milhões de pessoas deslocadas internamente.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Biden quadruplica o número de refugiados admitidos por Trump e os bispos o aplaudem - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV