FAO e ASA iniciam no Semiárido pesquisa global sobre impacto do Covid-19 nas famílias agricultoras

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Mudanças climáticas: uma oportunidade para a teologia se libertar do passado. Artigo de Bruno Latour

    LER MAIS
  • O extermínio na hora do almoço. Artigo de Corrado Augias

    LER MAIS
  • Pedofilia, relatório sobre a diocese de Ratzinger: 497 vítimas. O Papa Emérito é acusado de negligência em 4 casos. Santa Sé: “Vergonha”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Dezembro 2020

De hoje (7) até o dia 18 deste mês, aproximadamente duas mil famílias agricultoras do Semiárido serão entrevistadas sobre o impacto do Covid-19 nas suas vidas.

A reportagem é publicada por Articulação Semiárido Brasileiro - ASA, 07-12-2020.

Trata-se da primeira etapa de uma pesquisa que a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) vai realizar em todo o mundo, intitulada “Consulta global sobre os desafios dos agricultores familiares e pequenos produtores no contexto do COVID-19: insumos para estratégias de recuperação”.

O objetivo da ação é conhecer, avaliar e monitorar as estratégias das famílias agricultoras do Semiárido brasileiro para a produção de alimentos e frente à pandemia para o desenvolvimento de políticas dirigidas a este público. No Brasil, a pesquisa está sendo aplicada pelas organizações que fazem parte da ASA e atuam nos nove os estados da região e executam, atualmente, a terceira etapa do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2).

As famílias brasileiras do Semiárido, sorteadas pela FAO para participar da entrevista, acessaram em 2018 e 2019 duas importantes políticas públicas – a de acesso à água e de fomento produtivo – por meio do P1+2, realizado pela ASA com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Associar oferta de água a recursos para investimento na propriedade foi uma ação que impulsionou a vida das famílias agricultoras atendidas. Antes em situação de pobreza e de insegurança alimentar e nutricional, as famílias passaram a dispor de melhores condições para diversificar e ampliar a sua produção de alimentos no quintal de casa. Em 2020, foram desenvolvidas ações para promover a comercialização da produção que a família não consome.

 

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

FAO e ASA iniciam no Semiárido pesquisa global sobre impacto do Covid-19 nas famílias agricultoras - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV