Argentina tem 4,7 milhões de crianças pobres

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Por um humanismo bioecocêntrico e libertador. Artigo de Santiago Villamayor, José Arregi et alii

    LER MAIS
  • O Papa Francisco precisa operar a perna direita, mas responde: não quero. Ele teme os efeitos da anestesia, que no caso da colectomia foi uma experiência ruim

    LER MAIS
  • É preciso mudar o olhar sobre a globalização. Duas economistas em Davos confirmam que os ventos mudaram

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


02 Mai 2019

Segundo informe da Universidade Católica Argentina (UCA), quase meio milhão de crianças e adolescentes passam fome por falta de dinheiro em suas casas para comprar comida.

A informação é de Mar Centenera, publicada por El País, 30-04-2019. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

A crise econômica que atravessa a Argentina atinge com dureza as famílias com filhos. Em 2018, mais de 600 mil crianças estavam abaixo da linha da pobreza multidimensional e o número total subiu a 4,7 milhões, segundo a Universidad Católica Argentina (UCA). O número de crianças e adolescentes que vivem em famílias que não cumprem a renda necessária para adquirir uma cesta básica de bens e serviços e tem vulneráveis um ou mais direitos fundamentais aumentou de 37,1% em 2017, para 41,2% um ano mais tarde, quando o PIB caiu 3,5%.

O relatório Pobreza, Direitos e Crianças na Argentina, do Observatório da Dívida Social da UCA, também analisa separadamente a pobreza monetária e a privação de direitos. 51,7% das crianças e adolescentes vivem em domicílios com renda insuficiente, enquanto 63,4% estão em domicílios que não possuem pelo menos um direito fundamental: alimentação, saúde, educação, saneamento, moradia e informação.

A alta inflação da Argentina, que subiu 47,6% no ano passado, agravou a vulnerabilidade extrema em que quase meio milhão de crianças e adolescentes estão passando fome por falta de dinheiro em suas casas para comprar comida.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Argentina tem 4,7 milhões de crianças pobres - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV