Ucrânia. O Patriarca Kirill pede às paróquias que apoiem a guerra de Putin

Mais Lidos

  • Eucaristia e Casa Comum: entre a vida e o ouro. Artigo de Pe. Dário Bossi

    LER MAIS
  • Para Ailton Krenak, o capitalismo “teve metástase”

    LER MAIS
  • Mataram uns 12 milhões de indígenas, contabiliza Las Casas. Artigo de Edelberto Behs

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

25 Janeiro 2023

Um belicista de batina, um religioso de elmo: o Patriarca Russo Kirill pediu às paróquias que se mobilizassem em apoio ao exército russo.

A reportagem é publicada por Globalist Syndication, 21-01-2023. A tradução é de Luisa Rabolini.

“Se dissermos que a Igreja está com nosso povo, então toda congregação deve ajudar aqueles que estão na linha de frente. Temos que mobilizar os paroquianos para arrecadar bens e alimentos. Procurar oportunidades, arrecadar dinheiro, enviar pacotes, se possível ir diretamente, apoiar os militares”, disse Kirill em discurso publicado pelo Patriarcado de Moscou, de acordo com o que escreve o site Meduza.

Bandeiras da Rússia e da Ucrânia (Foto: reprodução | Public Domain Pictures)

No mesmo discurso, Kirill comparou a guerra na Ucrânia à Segunda Guerra Mundial e à invasão do exército de Napoleão em 1812, quando "praticamente toda a Europa se uniu para tentar conquistar a Rússia."

Hoje, declarou, "todo o mundo ocidental pegou em armas contra a Rússia", porque oferece "uma alternativa muito atraente" à globalização e à rejeição dos valores tradicionais.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ucrânia. O Patriarca Kirill pede às paróquias que apoiem a guerra de Putin - Instituto Humanitas Unisinos - IHU