Fome cresce no mundo e pode se agravar com a guerra na Ucrânia

Mais Lidos

  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A campanha da Fraternidade 2024. Fraternidade e Amizade Social. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • A primeira pergunta de Deus ao homem foi “Onde você está?”. O Artigo é de Enzo Bianchi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

11 Mai 2022

 

O sexto relatório da Rede Global Contra Crises Alimentares, uma publicação das Nações Unidas, União Europeia e ONGs, mostra que a fome cresceu 22% no mundo em 2021 em relação ao ano anterior. A publicação destaca que 193 milhões de pessoas enfrentam “segurança alimentar aguda” em 53 países ou territórios. O quadro deverá se agravar este ano por causa da guerra na Ucrânia.

 

A reportagem é de Edelberto Behs, jornalista.

 

Uma constatação, alarmante, indica que o mundo segue na contramão, com fome crescente constante observada em 39 países avaliados desde 2018. Não só a guerra, mas também mudanças climáticas e choques econômicos são motores da fome.

 

Países como Etiópia, Madagascar, Sudão do Sul e Iêmen requerem ações urgentes para evitar a fome. Guiné-Bissau aparece no relatório pelos níveis de problema de crescimento infantil próximo do limiar maior ou igual a 30% definido pela Organização Mundial da Saúde.

 

Quatro países lusófonos constam no relatório afetados pela insegurança alimentar nos dois últimos anos. Em Angola, 36 milhões de pessoas estão nessas condições. Em território moçambicano, tempestades tropicais, chuvas torrenciais e inundações levam o país a se deparar com a fome. E Cabo Verde registrou pelo quinto ano consecutivo, em 2021, uma pífia produção agrícola.

 

Em apelo à comunidade internacional, o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu ação imediata de socorro a esses países. Para uma mudança de rumo, Guterres reportou-se às medidas anotadas pela Agenda 2030, a Cúpula de Sistemas Alimentares da ONU e a criação do Corredor de Coordenação de Sistemas Alimentares.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Fome cresce no mundo e pode se agravar com a guerra na Ucrânia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU