A política da guerra e a da paz

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • Os Estados Unidos são uma ameaça à paz mundial e a seus cidadãos. Entrevista com Noam Chomsky

    LER MAIS
  • Misericórdia. O funeral negado a Welby: Zuppi remedia à vergonha da Igreja de Ruini

    LER MAIS
  • Terça-feira, 9 de agosto de 2022. 80º Aniversário do Martírio de Edith Stein

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


03 Mai 2022

 

A definição de von Clausewitz segundo a qual "a guerra é a continuação da política por outros meios" está tão presente em muitos talk-shows, debates e discussões de bar que acaba por nos persuadir a legitimar a guerra e torná-la de alguma forma compatível para nós. Mas não é assim, e devemos gritar isso. A guerra atesta antes o fracasso da política e não a sua continuação.

 

O comentário é de Tonio Dell'Olio, presidente da Pro Civitate Christiana, publicado por Mosaico di Pace, 02-05-2022. A tradução é de Luisa Rabolini.

 

Mesmo em tempos de guerra, a política pode tentar se redimir por meio do trabalho diplomático e do diálogo. Algo que resulta muito difícil quando se pretende ser credíveis, alimentando ao mesmo tempo a guerra com o envio de armas. Se você enviar armas, estará declarando ao mundo inteiro que acredita que a guerra possa ser a solução. Guerra e diplomacia, assim como o uso da força e o uso da palavra de reconciliação, são antitéticos e em contraposição.

 

A história, as vítimas e a vida gritam para que escolhamos estar do lado daqueles que querem a paz. O Papa Francisco não perdeu a oportunidade de repeti-lo ontem: “Eu me pergunto se realmente se está buscando a paz; se há vontade de evitar uma contínua escalada militar e verbal; se tudo está sendo feito para que as armas sejam silenciadas. Peço-vos, não se rendam à lógica da violência, à perversa espiral das armas. Vamos escolher o caminho do diálogo e da paz!".

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A política da guerra e a da paz - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV