Jürgen Habermas e o diálogo entre cidadãos religiosos e secularizados. Artigo de Emerson Silva

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • As sete pistas do Papa Francisco para viver o Advento

    LER MAIS
  • Desmatamento, trabalho escravo e incentivo da ditadura: o que está por trás dos megapecuaristas do Brasil

    LER MAIS
  • Começa processo para caçar vereador que ameaçou Frei Sérgio de morte no Rio Grande do Sul

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Janeiro 2022

 

A edição 157 dos Cadernos Teologia Pública publica o artigo de Emerson Silva intitulado “Razão pública e sociedade pós-secular: o diálogo entre cidadãos religiosos e secularizados no pensamento de Jürgen Habermas”.

 

Emerson Silva é professor do Seminário Teológico Congregacional do Nordeste - PE. Doutorando em Ciências da Religião na Universidade Católica de Pernambuco UNICAP, mestre em Ciências da Religião pela UNICAP em 2018, graduado em Teologia pela Faculdade de Teologia Integrada do Instituto Aliança de Linguística, Teologia e Humanidades FATIN/IALTH em 2019 e graduado em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco UFPE em 2015.

 

Segundo o autor, “o presente artigo fora desenvolvido a partir do excerto do trabalho dissertativo intitulado: “Religião e Esfera Pública na Sociedade Pós-Secular: O diálogo entre religião e razão em Jürgen Habermas” e visa elucidar, tendo em vista os processos de interação discursiva proveniente da teoria da ação comunicativa: as contribuições encontradas no pensamento habermasiano relacionadas ao debate em torno do fundamento racional do Estado democrático de direito, assim como o diálogo democrático entre cidadãos religiosos e secularizados em uma sociedade pós-secular.

 

Confira a primeira parte do estudo.

 

O século XX abrigou uma série de pensadores que se propuseram a revisar criticamente em suas reflexões os principais rumos tomados pelo pensamento ocidental frente a uma gama de mudanças ocorridas. Hans Gadamer, Emmanuel Lévinas, Gianni Vattimo, Friedrich Nietzsche são alguns dos importantes estudiosos que se destacam pela releitura feita, sobretudo em relação à pertinência do discurso religioso para o mundo contemporâneo.

Com os atentados ocorridos em 11 de setembro, o filósofo alemão Jürgen Habermas também passa a reorientar as suas percepções condizentes ao fenômeno religioso na sociedade secular: “Mas em 11 de setembro a tensão entre a sociedade secular e a religião explodiu de um modo inteiramente diverso” [1].

 

Imagem: Capa dos Cadernos Teologia Pública, edição 157, de Emerson Silva. 

 

A sua ideia de razão comunicativa, em que sujeitos em situações de fala ideal esboçam intersubjetivamente suas compreensões e expectativas relacionadas ao mundo e aos outros, é tomada em uma perspectiva crítica num rico diálogo com o discurso religioso, em que diversos componentes cognitivos oriundos das narrativas religiosas se interconectam com o discurso racional. Há um novo lugar para a religião nas democracias liberais, mas especificamente no que concerne a sua contribuição semântica à dignidade humana e a integração social.

Em um primeiro momento, apresentar-se-á o clássico dilema em torno do “paradoxo de Böckenförde” relacionado à fundamentação do Estado democrático de direito. Habermas tomará esta discussão abrindo perspectivas diferentes. Em seguida, discutiremos a relação dialógica sugerida pelo filósofo entre cidadãos religiosos e secularizados no que concerne ao processo democrático de aprendizagem dupla e complementar. Por último, abordar-se-á a consequência prática deste processo de aprendizagem: a vivência dos princípios fundamentais em torno do paradigma da tolerância, a base da vivência entre cidadãos religiosos dos seus mais variados credos e cidadãos não religiosos.

 

Acesse aqui para obter o texto completo.

 

O estudo de Emerson fez parte do debate do XX Simpósio Internacional IHU – Cristianismo, Sociedade, Teologia. A (I)Relevância pública do cristianismo num mundo em transformação.

O Simpósio ocorreu entre os meses de junho e novembro deste ano e debateu de forma transdisciplinar o sentido, os desafios e as possibilidades para o cristianismo, a Igreja, a teologia e fé cristã em meio às grandes transformações que caracterizam a sociedade e a cultura atual, no contexto da confluência de diversas crises de um mundo em transição, um mundo (pós)pandêmico.

 

Todas as conferências estão gravadas e podem ser acessadas aqui, bem como a programação completa do evento.

 

 

 

Referência

[1] HABERMAS, Jürgen. Fé e Saber; tradução Fernando Costa Mattos. – São Paulo: Editora Unesp, 2013.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jürgen Habermas e o diálogo entre cidadãos religiosos e secularizados. Artigo de Emerson Silva - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV