Um tapa na cara dos países ricos à OMS: “Primeiro a terceira dose para nós, depois veremos”

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • Um bomba social por trás do Auxílio Brasil

    LER MAIS
  • O evangelismo empreendedor: o entrepreneurship na ação política das organizações não-governamentais transnacionais da nova direita

    LER MAIS
  • Para entender a grande onda de depressão e suicídio

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


09 Agosto 2021

 

Primeiro os nossos cidadãos, depois, talvez, quem sabe. Estados Unidos, França e Alemanha responderam "não" ao apelo da Organização Mundial da Saúde, que pediu o adiamento da distribuição de uma terceira dose de vacinas para facilitar a chegada dos medicamentos em países com menos recursos. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS, havia lançado a proposta na quarta-feira, destacando que o empenho de proteger a população da variante Delta é "compreensível", mas que há uma injustiça por trás desse projeto. “É inaceitável que os países que já usaram a maioria das doses usem ainda mais, enquanto as populações mais vulneráveis permanecem sem proteção”.

A reportagem é de Giampaolo Cadalanu, publicada por La Repubblica, 08-08-2021. A tradução é de Luisa Rabolini.

Washington, Paris e Berlim rejeitaram a ideia. O primeiro Não veio dos Estados Unidos: "Acreditamos que seja uma escolha errada: podemos fazer as duas coisas", disse Jen Psaki, porta-voz da Casa Branca, acrescentando que os EUA doaram mais doses do que qualquer outro país. De acordo com o ministro da saúde alemão, "devemos primeiro garantir que as categorias mais ameaçadas, como idosos ou pessoas com sistema imunológico debilitado, sejam protegidas". Para essas pessoas, o risco de declínio na proteção é alto. Berlim relançou a oferta de 30 milhões de doses até o final do ano para países onde até agora a campanha de imunização nem começou: 80% dessa doação será administrada pelo sistema global Covax. Em agosto, o governo federal renunciou às unidades de vacinas Johnson e Johnson destinadas à Alemanha em favor de outros países europeus.

A reação da França se limitou a uma mensagem nas redes sociais do presidente Emmanuel Macron, que lembrou que "uma terceira dose será necessária para os mais vulneráveis e os idosos".

A Comissão Europeia preferiu afastar-se do embate, lembrando que todas as decisões sobre o uso de vacinas dependem das autoridades nacionais e acrescentando que metade da produção europeia de vacinas foi exportada. A Comissão Europeia e os governos contribuíram com três bilhões de euros para a Covax, a iniciativa internacional para distribuir doses suficientes para imunizar pelo menos 20% da população de 92 países de baixa renda.

Mas é difícil não ver razões de justiça no apelo Ghebreyesus: o acesso às vacinas tem sido desequilibrado, com as nações economicamente mais fortes assegurando para si quatro quintos dos medicamentos, garantindo assim à população mais de 50% dos vacinados. Nos países pobres, por outro lado, pouco mais de 1% completou o ciclo de vacinação. E esse desequilíbrio fica ainda mais claro nas avaliações da Agência Europeia de Medicamentos, que parecem deixar filtrar algumas dúvidas sobre a necessidade da terceira dose. A EMA, em conjunto com o Centro Europeu de Controle e Prevenção de Doenças, quis enfatizar que as vacinas aprovadas até agora "oferecem um alto nível de proteção contra o risco de doença grave ou morte devido ao vírus Sars-Cov-2, incluídas as variantes, como a delta”.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um tapa na cara dos países ricos à OMS: “Primeiro a terceira dose para nós, depois veremos” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV