Chile. Discurso completo de Elisa Loncón, mulher mapuche, presidente da Convenção Constitucional

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • A geração Z é a geração ‘do Fim do Mundo’. Entrevista com Carlos Tutivén Román

    LER MAIS
  • “A Renda Básica não é em si uma proposta antitrabalho”. Entrevista com Alberto Tena

    LER MAIS
  • Celibato dos padres no centro do Sínodo. O caso dos abusos impulsiona as reformas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Julho 2021

 

Elisa Loncón, constituinte do povo mapuche, pronunciou um emotivo discurso após ser eleita presidente da Assembleia Constituinte.

Loncón afirmou "Esta Convenção, que hoje me toca presidir, transformará o Chile em um Chile plurinacional, em um Chile intercultural, em um Chile que não atenta contra os direitos das mulheres, os direitos das cuidadoras. Esta Convenção transformará o Chile em um Chile que cuida da Mãe Terra, em um Chile que limpa as águas, em um Chile livre de toda dominação".

O discurso é de Elisa Loncón, proferido em 04-07-2021, após eleição da Convenção Constitucional chilena.

 

Eis o discurso.

 

 

MARI MARI PU LAMNGEN
MARI MARI KOM PU CHE
MARI MARI CHILE MAPU

Uma grande saudação ao povo do Chile, do norte até a Patagonia, desde el lafken, o mar, até a cordilheira; nas ilhas, a todo o povo de Chile que está nos vendo e nos escutando. Aqui estamos pu lamngen, agradecer o apoio das diferentes coalizações que nos entregaram sua confiança, que depositaram seus sonhos no chamado que fez a Nação Mapuche para eleger uma pessoa mapuche, mulher, para mudar a história deste país.

Nós estamos felizes por esta força que nos dão, porém, esta força é para todo o povo chileno, para todos os setores, para todas as regiões, para todos os povos e nações originárias que nos acompanham, para suas organizações, para todos e todas. Estes cumprimentos e agradecimentos são também para a diversidade sexual, para mulheres que caminharam contra todo sistema de dominação. Agradecer que esta vez estamos instalando aqui uma maneira de ser plural, uma maneira de ser democráticos, uma maneira de ser participativos.

Esta Convenção, que hoje me toca presidir, transformará o Chile em um Chile plurinacional, em um Chile intercultural, em um Chile que não atenta contra os direitos das mulheres, os direitos das cuidadoras. Esta Convenção transformará o Chile em um Chile que cuida da Mãe Terra, em um Chile que limpa as águas, em um Chile livre de toda dominação. Uma saudação especial aos lamngen mapuche de Wallmapu, este é um sonho de nossos antepassados: esse sonho hoje se faz realidade.

É possível, irmãos e irmãs, companheiros e companheiras, refundar o Chile, estabelecer uma nova relação entre o povo Mapuche e todas as nações que conforma este país. Neste contexto, pu lamngen esta é a primeira amostra de que esta Convenção será participativa. Nós, como povos originários, estabelecemos o que seria uma direção rotativa, uma direção coletiva, que dê espaço a todos os setores da sociedade aqui representados. Todos juntos, pu lamngen, vamos refundar este Chile.

Temos que ampliar a democracia, temos que ampliar a participação, temos que convocar até o último canto do Chile para ser parte deste processo. A Convenção deve ser um processo participativo e transparente, que possam nos ver desde o último canto de nosso território e nos escutar em nossas línguas originárias que estão postergadas durante tudo o que foi o Estado-Nação chileno. Pelos direitos de nossas nações originárias, pelos direitos das regiões, pelos direitos da Mãe Terra, pelos direitos da água, pelos direitos das mulheres e pelos direitos de nossas crianças.

Quero expressar também minha solidariedade com os outros povos que sofrem. Escutamos pela televisão o que ocorreu com as crianças indígenas do Canadá, é vergonhoso como o colonialismo atentou e atacou o futuro das nações originárias. Nós, irmãos e irmãs, somos um povo solidário.

Quero agradecer aqui à autoridade originária do povo mapuche, à Machi Francisca Linconao, por seu apoio. Tenho também uma mãe que está me assistindo desde minha comunidade de Lefweluan, uma mãe que fez que esta mulher pudesse estar aqui.

Agradecimento a todas as mulheres que lutam pelo futuro de seus filhos e filhas.

Por fim, cumprimento as crianças que estão nos escutando, que estão nos vendo.

Hoje, funda-se um novo Chile: plural, plurilíngue, com todas as culturas, com todos os povos, com as mulheres e com os territórios, esse é o nosso sonho para escrever uma Nova Constituição.

Mañum pu lamngen
Marichiweu! Marichiweu! Marichiweu!

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Chile. Discurso completo de Elisa Loncón, mulher mapuche, presidente da Convenção Constitucional - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV