ONU alerta para avanço do antissemitismo na Europa e nos Estados Unidos

Mais Lidos

  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

05 Junho 2019

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) condenou o aumento de episódios de antissemitismo em vários países europeus e também nos Estados Unidos. Na Áustria, uma exposição em Viena sobre sobreviventes do Holocausto foi vandalizada três vezes em maio. Na Alemanha, casos de discriminação também no mês passado levaram um oficial do governo a orientar judeus a não usar suas quipás em público, para evitar exposição e eventuais ataques.

A reportagem é publicada por ONU Brasil, 03-06-2019.

“Esses eventos na Alemanha e na Áustria não podem, infelizmente, ser descritos como isolados, com outros países europeus também registrando aumentos em atos de vandalismo, incluindo contra empresas e túmulos de judeus. O mais perturbador de tudo é que atos de violência física contra judeus também aumentaram em vários países em anos recentes, com aumentos particularmente agudos em incidentes violentos relatados tanto na Alemanha quanto na França”, afirmou em maio (28) a porta-voz do ACNUDH, Marta Hurtado.

Na Áustria, a mostra fotográfica “Lest we forget” — instalada nas ruas do centro de Viena para homenagear sobreviventes do Holocausto — foi depredada em diversas ocasiões. Inicialmente, vândalos pintaram suásticas nos rostos dos sobreviventes. Depois, pedaços do rosto dos retratados foram rasgados.

“Contudo, os piores incidentes ocorreram nos Estados Unidos, onde 11 pessoas foram mortas durante um ataque na sinagoga Árvore da Vida, em Pittsburgh, em outubro último, e em abril, uma mulher foi morta e outros três fiéis ficaram feridos em outro ataque a uma sinagoga, no sul da Califórnia”, disse a representante do organismo internacional.

Segundo Marta, “o aumento em ataques visando judeus, ao lado de outros grupos visados por causa de sua raça ou religião, é uma questão seriamente preocupante”. A porta-voz pediu que todos os governos redobrem urgentemente os seus esforços para combater o racismo e a intolerância em todas as suas formas.

“Sob o direito internacional, as pessoas têm direito à proteção legal contra a incitação ao ódio e à violência. Quando abusos chegam ao nível da incitação — seja na rua ou na internet —, deve ser proibido por lei, ao mesmo tempo em que se respeita a liberdade de expressão, que sofre restrições admissíveis em tais casos.”

Apesar da onde de antissemitismo, Marta lembrou desdobramentos positivos, como a resposta de moradores de Viena, que se uniram contra a depredação da exposição e costuraram as imagens vandalizadas. Cidadãos da capital austríaca também organizaram vigílias para monitorar e proteger a mostra de novos ataques.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

ONU alerta para avanço do antissemitismo na Europa e nos Estados Unidos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU