Nascente do rio São Francisco secou, diz diretor de parque

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O que significa ser padre hoje? Artigo de Timothy Radcliffe

    LER MAIS
  • Paulo Freire. Cem anos de solidão pedagógica?

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Setembro 2014

Pela primeira vez em sua história, a nascente do rio São Francisco, situada no Parque Nacional da Serra da Canastra, em Minas Gerais, está completamente seca.

O fato é simbólico, mas não significa, necessariamente, que o curso do rio será interrompido mais adiante.

"Não afeta todo o rio porque ele é muito grande, tem outros tributários [afluentes] que vão ajudando a mantê-lo. A gravidade maior é a seca. É uma questão simbólica", diz o diretor do parque, Luiz Arthur Castanheira.

A reportagem é de Paula Sperb, publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 24-09-2014.

A falta de água na nascente do rio - que tem 2.700 quilômetros de extensão e atravessa cinco Estados - foi detectada por funcionários, que visitam o local diariamente, diz Castanheira.

"O pessoal mais antigo aqui do parque está assustado [com a seca]", diz.

O rio nasce a cerca de 1.200 metros de altitude, em um dos pontos mais altos do parque, que tem 200 mil hectares de área. A água brota de diversos "olhos d'água" e pequenos riachos que formam a nascente do Velho Chico, como o rio é afetuosamente chamado.

"Se a nascente seca, [o rio] vai ficar com pouca água até o primeiro desaguar de outro rio [no São Francisco]", explica o vice-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Wagner Soares.

Ele não soube dizer em que ponto isso ocorre.

A estiagem rigorosa não afeta somente a nascente. A represa de Três Marias (a 224 km de Belo Horizonte), a primeira do São Francisco, está com a vazão crítica.

Nesta terça-feira (23), o volume de água captado pelo reservatório foi quatro vezes menor do que o liberado, segundo a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A represa opera com 5,7% de seu volume útil.

"Não choveu a quantidade esperada, mas há a necessidade de manter a vazão para a energia elétrica, o que diminui o reservatório", explica Soares. De acordo com o comitê, a previsão é que a situação seja normalizada com aumento no volume de chuva em meados de outubro.

A nascente do rio fica perto de São Roque de Minas (a 256 km de Belo Horizonte), mas a cidade vizinha, Medeiros, também reivindica para seu território o título de sede da cabeceira do rio.

INCÊNDIO

O tempo seco também aumentou o número de focos de incêndio no parque - desde 20 de agosto, já foram registradas oito ocorrências.

O mais recente e mais grave ocorreu na sexta (19), durou 48 horas e atingiu 10 mil hectares. Os campos próximos da nascente do São Francisco também foram afetados, segundo Castanheira.

"Isso é o que é o mais triste. [A nascente] está tão seca que não conseguimos nem pegar água para apagar o incêndio", relata o diretor.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Nascente do rio São Francisco secou, diz diretor de parque - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV