Grupo protesta contra instalação de mina de carvão próxima a Porto Alegre

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Como viver o Advento em tempos de quarentena

    LER MAIS
  • Uma nova economia é possível!

    LER MAIS
  • Caixa do Carrefour: “Eu ficava das onze da manhã às três da tarde sentada e evitava tomar água, pra não ter que ir ao banheiro, porque não tinha quem ficasse no meu lugar”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Mai 2019

Um grupo de manifestantes realizaram na manhã desta terça-feira (14), em Porto Alegre, um protesto contra um projeto de instalação de uma mina a céu aberto às margens do rio Jacuí, entre os municípios de Eldorado do Sul e Charqueadas, na Região Metropolitana da capital gaúcha. Os manifestantes se reuniram na frente de um hotel onde estava sendo realizado um seminário promovido pela Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul justamente para discutir a implantação do Polo Carboquímico no estado.

A reportagem é de Daniele Bragança, publicada por O Eco, 14/05/2019.

Manifestantes levaram faixas pra frente de hotel onde ocorreu um evento sobre mineração (Foto: Agapan) 

O motivo do protesto é a instalação da Mina Guaíba, um projeto da Copelmi com investimento chinês e norte-americano que pretende extrair carvão mineral, areia e cascalho de uma área junto ao Rio Jacuí. A produção se destina para abastecer as termoelétricas nos períodos de estiagem, quando a produção cai nas hidrelétricas. O projeto está na fase de licença prévia junto à Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler), órgão de licenciamento estadual.

Cerca de 20 manifestantes se reuniram com faixas, máscaras e panfletos. Segundo Heverton Lacerda, vice-presidente da Agapan (Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural), que participou da manifestação, já estão previstas outras ações e eventos de debates.

A Agapan já solicitou uma audiência pública em Porto Alegre para discutir o projeto da mina, já que o empreendimento “fica a pouco mais de 20 quilômetros de Porto Alegre e muito próximo do rio Jacuí, principal contribuidor (85%) do lago Guaíba, que abastece Porto Alegre e cidades próximas”, disse Heverton a ((o))eco. Uma audiência pública em Eldorado do Sul já está agendada para ocorrer no dia 27 de julho. O evento faz parte das etapas do licenciamento ambiental.

A proteção da água é uma das bandeiras dos manifestantes, junto com a preocupação em relação às populações que moram em assentamentos que serão atingidos pelo projeto. O local onde a Copelmi pretende instalar a mina é ocupado pela área de maior produção de arroz orgânico da América Latina. A lavoura fica dentro do Assentamento do MST Apolônio Carvalho, onde vivem 72 famílias que teriam de ser removidas do local.

Um abaixo assinado com 2 mil assinaturas já foi entregue ao governador Eduardo Leite (PSDB), contra o projeto.

(Foto: Agapan)

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Grupo protesta contra instalação de mina de carvão próxima a Porto Alegre - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV