Marciano Vidal: moralista espanhol censurado pelo Vaticano

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Cenas de um filme de terror da vida real. Os 30 anos do massacre de Ignacio Ellacuría e seus companheiros

    LER MAIS
  • Aumento de mortalidade no país está diretamente ligado a corte de verbas no SUS

    LER MAIS
  • Papa Francisco quer incluir 'pecado ecológico' na doutrina oficial da Igreja, após Sínodo da Amazônia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

16 Fevereiro 2012

Ele é bom como pão e, além disso, inteligente, sério e com uma obra comprovada. Marciano Vidal é, sem dúvida alguma, o moralista vivo mais prestigiado do mundo. Um moralista que criou escola, seguindo os passos de seu mestre, Bernhard Häring. Ninguém explicou nem adaptou melhor à atualidade a doutrina moral da Igreja Católica. Talvez justamente por isso, por se adentrar na grande matéria eclesial pendente, ele está há anos na mira do ex-Santo Ofício.

O comentário é de José Manuel Vidal, diretor do sítio Religión Digital, e publicada pelo sítio Atrio, 15-02-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Há alguns anos, da Doutrina da Fé, chegou-lhe uma advertência que ele aceitou sem resmungar, apesar de estar convencido da sua injustiça. Agora, a Suprema proíbe que a editora San Pablo, da Argentina, venda um de seus livros [Sexualidade e Condição Homossexual na Moral Cristã, Ed. Santuário, 2008], em que aborda de forma extraordinariamente prudente a questão da homossexualidade.

Uma proibição sem sentido, que obedece simplesmente a uma denúncia anônima das muitas que chovem sobre o Vaticano, procedentes dos setores mais talibãs.

Uma proibição sem lógica. Se sua venda é proibida na Argentina, por que não no Brasil, Chile ou Espanha? Se a venda do livro é proibida para a editora San Pablo, por que não se faz o mesmo com outras editoras religiosas que continuam vendendo o mesmo livro?

A Cúria e Levada estão com a vara levantada não contra Sodano ou para defender o papa, mas sim para arremeter contra um "probo" e humilde moralista espanhol, cheio de razão e de argumentos teológicos. O mundo de cabeça para baixo. E a Cúria como uma raposa, infiltrada até em El Yunque.

Contra essa seita, não fazem nada nem lá nem aqui. Nem Levada lá, nem Rouco aqui movem um dedo contra os "ultras" de El Yunque. Mas Levada (dias antes de deixar o palácio do ex-Santo Ofício) se enfurece contra o bom e "probo" Marciano Vidal. Clama ao céu. Que se indignem os redentoristas! Que apelem ao seu irmão Tobin, secretário da Vida Religiosa! Que a Confer [Conferência Espanhola de Religiosos] lhe defenda! Que os teólogos espanhóis o apoiem! Ou, ao menos, que alguém diga alguma coisa e se una a este apoio a Marciano Vidal.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Marciano Vidal: moralista espanhol censurado pelo Vaticano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV