Jovens católicos abraçam desmatamento zero

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Bartomeu Melià: jesuíta e antropólogo evangelizado pelos guarani (1932-2019)

    LER MAIS
  • O cardeal filipino Luis Antonio Tagle, a reforma da Igreja e o próximo pontificado

    LER MAIS
  • Vivemos uma ‘psicopatia difusa’ na política brasileira, diz psicanalista

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

21 Fevereiro 2013

Até o momento, quase 759 mil eleitores assinaram a petição pela lei de iniciativa popular pelo desmatamento zero e, com o intuito de conquistar mais brasileiros, o Greenpeace aportará este fim de semana (23 e 24 de fevereiro) na capital paranaense para participar do Bote Fé Curitiba, que pretende reunir até 30 mil pessoas.

A informação é de Ximena Leiva e publicada por Greenpeace Brasil, 21-02-2013.

Desde setembro de 2011, a cruz peregrina ou da jornada – presenteada pelo Papa João Paulo II aos jovens em 1984, no Vaticano – e o Ícone de Nossa Senhora, símbolos máximos da juventude católica, estão em terras brasileiras e agora passarão por Curitiba. O destino final delas é o Rio de Janeiro, quando será comemorada a XXVIII Jornada Mundial da Juventude em julho. A previsão é de que 5 milhões de pessoas participem desse encontro, que se repete entre dois ou três anos em algumas cidades do mundo.

Além de ser um momento para celebrar a fé, os jovens católicos também se envolvem em campanhas como a do desenvolvimento da cultura da paz, contra a violência, redução da criminalidade e uso de entorpecentes, desenvolvimento sustentável, entre outras.

Sendo assim, a bandeira pelo desmatamento zero será abraçada por esta parcela importante da sociedade, a qual se solidariza com os povos das florestas brasileiras e também com as futuras gerações, já que preservar esta riqueza natural é estratégico para regular o clima do mundo e manter os regimes de chuva. “Se somos Igreja devemos fazer opção pela vida. Apoiar o desmatamento zero é fazer opção pela nossa própria vida”, observa Marlon Roza, coordenador da Juventude Palotina do Brasil e um dos organizadores do Bote Fé Curitiba.

“O engajamento da juventude católica do Paraná e de outros estados pela erradicação do desmatamento no Brasil e pela defesa da biodiversidade nos demonstra que é possível salvar as florestas. São iniciativas como essa que ajudam a construir esta aliança nacional”, afirma Kenzo Jucá Ferreira, coordenador da campanha do desmatamento zero do Greenpeace Brasil.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jovens católicos abraçam desmatamento zero - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV