Equador. Bispo entra no sexto dia da greve de fome

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa, a sinodalidade e a eclesiogênese. Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS
  • Achille Mbembe e o escancaramento dos mundos de morte

    LER MAIS
  • Mike Davis, Los Angeles e os pecados do capitalismo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


30 Mai 2011

Dom Gonzalo López Marañón, bispo emérito da província equatoriana de Sucumbíos, entra no seu sexto dia de jejum e oração pela reconciliação da província de Sucumbíos.

A reportagem está publicada no blog da Igreja de San Miguel de Sucumbíos – Isamis, 29-05-2011. A tradução é do Cepat.

O Parque Alameda, em Quito, se parece cada dia mais a um acampamento pela reconciliação: tendas para a missa, para a imprensa, banheiros e pessoas que chegam a qualquer hora do dia e da noite para visitar o "Bispo em jejum".

A Cruz Vermelha do Equador, que o visita diariamente pela manhã e à noite, garante que está bem de saúde, dadas as circunstâncias. Com o sexto dia de greve de fome, o corpo entra em uma etapa de purificação e de consumo das próprias energias e reservas.

Na missa de sábado, às 17h, celebrada pelo próprio Bispo Emérito de Sucumbíos, participaram cerca de 120 pessoas. Nela, Gonzalo López Marañón, deu as boas-vindas aos "heróis e heroínas de Sucumbíos", que participaram da vigília durante 139 dias em frente à Catedral de Nueva Loja.

Prevê-se que nos próximos dias mais pessoas, algumas vindas de Sucumbíos, se somem à greve de fome e levem ao parque suas próprias tendas. O acampamento pela reconciliação de Sucumbíos ganhará força.

Enquanto isso, em Nueva Loja, a Renovação Carismática continua realizando marchas em favor do retorno dos Arautos do Evangelho e pela saída dos sacerdotes diocesanos. As marchas reúnem cada vez menos pessoas. A desta manhã [domingo, dia 29 de maio] contou com cerca de 100 pessoas frente às 400 de dias anteriores.

Os sinais de reconciliação ainda estão longe, motivo pelo qual Monsenhor convida todas as pessoas envolvidas na tensão social a visitá-lo em sua tenda, para dialogar e buscar caminhos para a paz.

A tenda que o acolhe para rezar, receber visitas e descansar, é pequena e simples, com numerosos livros; um tapete protege da umidade e do frio.

A porta-voz oficial de Gonzalo López, María de los Ángeles Vaca, recordou que a reconciliação em Sucumbíos nasce do diálogo entre irmãos e da restituição de direitos.

Dom Gonzalo López Marañón, ex-bispo da província equatoriana de Sucumbíos, iniciou na terça-feira, dia 24, às 17h local, um jejum e oração permanentes pela reconciliação e a paz em Sucumbíos. No Parque Alameda, na cidade de Quito.

Com o lema "Para curar feridas e reconciliar Sucumbíos", dom López Marañón, de 77 anos de idade, bispo emérito da província amazônica desde outubro passado, se instalou em uma tenda por tempo indeterminado, até que haja sinais claros de reconciliação entre a população.

A decisão de dom Gonzalo López se dá após o recrudescimento do conflito social e religioso em Sucumbíos há mais de seis meses, com a chegada ao Vicariato Apostólico da Congregação dos Arautos do Evangelho.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Equador. Bispo entra no sexto dia da greve de fome - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV