Por uma Igreja mais sinodal: “Construindo a liturgia juntos”

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • A arte da leitura. Artigo de Enzo Bianchi

    LER MAIS
  • Maria Madalena era realmente de Magdala? Duas pesquisadoras investigam isso

    LER MAIS
  • Tudo é vida. “A espiritualidade com a roupa do dia a dia”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Mai 2021

"A intuição de Saint-Maurice, desde 2001, é simples: se não se quer que a liturgia se transforme em algo abstrato, do qual nos sentimos alheios, os fiéis devem ser envolvidos ao máximo nela e também deve haver possibilidade de mudanças. Não é que a gente faça alguma revolução, nada disso! As bases são sólidas, mas é uma liturgia em movimento, que evolui com a comunidade em toda a sua diversidade: as pessoas assíduas, os participantes ocasionais ... que por vezes estão distantes da Igreja e aos quais sentimos que devemos estar particularmente atentos", escreve Emmanuel Bouclon, em depoimento coletado por Mélinée Le Priol, publicado por La Croix, 21-05-2021. A tradução é de Luisa Rabolini.

 

Eis o texto.

 

Sou um dos quatorze membros da equipe encarregada pelo bispo de Lille para fazer viver a igreja de Saint-Maurice, próxima da estação ferroviária Lille-Flandres. Somos complementares a uma EAP (equipe de animação pastoral), no sentido de que não nos encarregamos de toda a paróquia, mas da animação apenas desta igreja, em particular para a missa do domingo à noite. Outra diferença em relação às EAP: somos mais numerosos e nos encontramos com mais frequência (uma vez por semana), mas nosso mandato não é tão longo (raramente mais de dois ou três anos). Cinco de nós fazemos parte da Fraternité diocésaine des parvis, uma associação que vive o espírito do Concílio Vaticano II e segue a inspiração missionária de Madeleine Delbrêl. A intuição de Saint-Maurice, desde 2001, é simples: se não se quer que a liturgia se transforme em algo abstrato, do qual nos sentimos alheios, os fiéis devem ser envolvidos ao máximo nela e também deve haver possibilidade de mudanças. Não é que a gente faça alguma revolução, nada disso! As bases são sólidas, mas é uma liturgia em movimento, que evolui com a comunidade em toda a sua diversidade: as pessoas assíduas, os participantes ocasionais ... que por vezes estão distantes da Igreja e aos quais sentimos que devemos estar particularmente atentos. Em Saint-Maurice, a liturgia é bela porque é construída com o conjunto da assembleia. Sente-se que não se baseia apenas no padre. Durante uma missa, até trinta pessoas podem estar envolvidas na participação (para uma leitura, um testemunho, etc.).

 

Foto: Cathopic

 

Nós, equipe encarregada, coordenamos diferentes grupos (responsáveis pela música, flores, oração dos fiéis, etc.) e damos os estímulos para introduzir mudanças. Entre os temas da reflexão coletiva: o gesto durante a oração do Pai Nosso (por exemplo, com a mão esquerda no ombro do vizinho e a direita aberta ...) ou a disposição da assembleia durante a oração eucarística (todos ao redor do altar...). Às vezes, vamos por tentativa ...

Durante a pandemia, tínhamos proposto expressar a palavra "paz" em linguagem dos sinais para o gesto de paz, mas a coisa se revelou complicada de fazer na assembleia! Procuramos ouvir, evitando propor gestos que não falariam às pessoas. Com o padre em missão em Saint-Maurice, as relações são tranquilas. O fato de nos encontrarmos uma vez por semana para conversar depois de orar e comer juntos provavelmente facilita as relações. Sinto-me à vontade para dizer a ele o que penso. Para os anúncios no final da Missa, por exemplo, parece-me preferível que não seja ele a lê-los, para que fique claro aos fiéis que é toda a equipe que os convida aos vários eventos.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Por uma Igreja mais sinodal: “Construindo a liturgia juntos” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV