Uma tarefa em conjunto

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

19 Janeiro 2018

Depois que João Batista foi preso, Jesus voltou para a Galileia, pregando a Boa Notícia de Deus: «O tempo já se cumpriu, e o Reino de Deus está próximo. Convertam-se e acreditem na Boa Notícia».

Ao passar pela beira do mar da Galileia, Jesus viu Simão e seu irmão André; estavam jogando a rede ao mar, pois eram pescadores. Jesus disse para eles: «Sigam-me, e eu farei vocês se tornarem pescadores de homens». Eles imediatamente deixaram as redes e seguiram a Jesus.

Caminhando mais um pouco, Jesus viu Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes. Jesus logo os chamou. E eles deixaram seu pai Zebedeu na barca com os empregados e partiram, seguindo Jesus.

Evangelho de Marcos capitulo 1,14-20 (Correspondente ao 3º Domingo do Tempo Comum, ciclo B do Ano Litúrgico).

O comentário é de Ana Maria Casarotti, Missionária de Cristo Ressuscitado.

Uma tarefa em conjunto

Depois que João Batista é preso, inicia-se uma nova etapa: Jesus começa uma atividade diferente na Galileia: proclamar o Reino de Deus.

Este trecho do evangelho que é lido hoje nas igrejas e comunidades de todo o mundo, convida-nos a escutar a primeira pregação de Jesus: “O tempo já se cumpriu, e o Reino de Deus está próximo. Convertam-se e acreditem na Boa Notícia”.

Receber as palavras de Jesus é escutá-las desde o silêncio interior. Deixar que elas nos movam de nossas seguranças religiosas e sociais. Convida-nos a entrar em caminho, a sair daquilo que nos dá uma aparente certeza e pode nos conduzir a “ficar tranquilos” e imobilizados.

O tempo se cumpriu e sinaliza que há um tempo que finaliza e um novo tempo na história da salvação que começa. Jesus dá início a esse tempo novo! Seu amor por cada um e cada uma dos que encontra no caminho não tem limite.

Jesus disse que para entrar no tempo novo é preciso se converter e acreditar na Boa Notícia. Se converter é reconhecer num primeiro momento que houve um erro, que somos pessoas frágeis e necessitadas e precisamos da misericórdia de Deus. Por isso o Senhor nos chama a reconhecer nossas debilidades e pecados.

Não somos chamados a sermos juízes dos outros, senão pelo contrário, a ser compreensivos, a ter um coração aberto e sem limites, com um olhar simples e ouvidos atentos. Por isso Ele nos chama a não condenar ninguém, pelo contrário, ter compaixão por cada pessoa que está ao nosso lado à semelhança de Jesus.

Ficar arrependidos nos conduz a mudar a vida de cada um e cada uma. Converter-se significa voltar a Deus e melhorar suas atitudes de vida.

“Pedimos perdão a todos aqueles que ferimos com os nossos crimes”, disse Janeth em nome de todas as encarceradas do Centro Penitenciário Feminino de Santiago. Texto completo: ''Uma condenação sem futuro não é uma condenação humana: é uma tortura'', afirma Francisco 

Jesus incentiva a acreditar na conversão e acreditar na Boa Nova. O Reino de Deus manifesta-se numa pessoa e nas suas atitudes. Serão capazes de recebê-lo os pobres, aqueles que desejam sair da situação em que estão. São os marginalizados e os desprezados da sociedade. Jesus traz uma paz e uma alegria interior “nova”.

Por isso o reino de Deus não é um espaço, senão uma experiência de vida, ou seja, de justiça, solidariedade, fraternidade e paz.

Jesus chama e escolhe seus discípulos para dar sentido comunitário a sua missão, porque se não há comunidade não há reino de Deus. Lembremos que tradicionalmente os discípulos procuravam seu Mestre, mas neste caso é totalmente o contrário: Jesus escolhe, chama, e dá uma tarefa para eles: serem pescadores de homens: «Sigam-me, e eu farei vocês se tornarem pescadores de homens».

Ele convida toda pessoa a partilhar sua Missão. Fazendo memória às palavras de Padre Alberto Hurtado, em sua visita ao Chile o Papa Francisco disse: “Uma nação, mais do que suas fronteiras, mais do que suas terras, suas cordilheiras, seus mares, mais do que a sua língua ou suas tradições, é uma missão a cumprir”. Texto completo: Francisco no Chile expressa "pesar e vergonha ante o dano irreparável causado às crianças por ministros da Igreja"

O convite de Jesus se expressa ao longo de todo o Evangelho, é um chamado a estar com Ele. Um convite austero. Os primeiros/as seguidores de Jesus são convidados a segui-Lo. No seguimento Jesus lhes ensina a ter seus sentimentos de compaixão pelos pobres e miseráveis deste mundo, sua escuta e sua liberdade diante das autoridades. Partilhar sua experiência de Deus e aprender assim a reconhecer sua ação e acolhê-la, deixar-se conduzir por Ele.

 

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Uma tarefa em conjunto - Instituto Humanitas Unisinos - IHU