Embaixador ucraniano em Budapeste quer saber o que Orbán disse ao papa

Mais Lidos

  • Eucaristia e Casa Comum: entre a vida e o ouro. Artigo de Pe. Dário Bossi

    LER MAIS
  • Para Ailton Krenak, o capitalismo “teve metástase”

    LER MAIS
  • Mataram uns 12 milhões de indígenas, contabiliza Las Casas. Artigo de Edelberto Behs

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

05 Mai 2022

 

O embaixador da Ucrânia na Hungria, Lyubov Nepop, pediu uma audiência com o ministro das Relações Exteriores da Hungria, Péter Szijjártó, depois daquilo que foi relatado pelo primeiro-ministro Viktor Orbán ao papa, ou seja, que os russos têm “um plano” para pôr fim à guerra até segunda-feira, 9 de maio.

 

A reportagem é de Il Sismografo, 04-05-2022. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

 

Depois das eleições parlamentares do dia 3 de abril, o recém-reeleito Orbán rompeu a tradição e, em vez de fazer a sua primeira visita ao exterior indo à Polônia, como fez após cada vitória desde 2010, ele visitou o líder da Igreja Católica, assim como o líder de extrema direita italiano Matteo Salvini, da Liga.

 

Em entrevista ao jornal italiano Corriere della Sera publicada na terça-feira, 3 de maio, o Papa Francisco disse que o primeiro-ministro húngaro lhe disse havia dito durante uma audiência que “os russos têm um plano, e tudo vai acabar no dia 9 de maio”, e isso parecia sugerir que Orbán poderia ter alguma ideia do planejamento da Rússia.

 

“Sabemos que muitas vezes os nossos parceiros têm mais informações do que nós, e seria muito importante obtê-las. Conhecer tais planos pode ser importante para pôr fim à guerra”, disse Nepop à agência Azonnali-Telex. O embaixador afirmou que o seu conhecimento se baseia em fontes oficiais.

 

Referindo-se aos relatos da imprensa segundo os quais a Hungria se ofereceu para receber soldados ucranianos feridos, o diplomata observou que os homólogos ucranianos foram oficialmente informados de que Budapeste só poderia tratar de 46 soldados.

 

Nepop pediu uma reunião com o ministro das Relações Exteriores na manhã dessa terça-feira, 3 de maio, mas ainda não recebeu resposta. “Nós colaboramos com o Ministério das Relações Exteriores. Às vezes, obtemos reuniões, às vezes não”, concluiu.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Embaixador ucraniano em Budapeste quer saber o que Orbán disse ao papa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU