Incluir ritos maias nas missas católicas: a proposta dos bispos do México ao Papa

Mais Lidos

  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A campanha da Fraternidade 2024. Fraternidade e Amizade Social. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • A primeira pergunta de Deus ao homem foi “Onde você está?”. O Artigo é de Enzo Bianchi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

03 Março 2023

  • A Diocese de San Cristóbal, no sul do México, enviará ao Papa Francisco uma proposta para incluir ritos indígenas maias, como dança, música e a participação de mulheres nas missas.
  • Essas adaptações litúrgicas visam unir as comunidades "respeitando seu valor, levando em conta a cultura dos povos originários", disse o bispo de San Cristóbal, dom Rodrigo Aguilar Martínez.
  • “Estamos trabalhando em um encontro importante para a diocese, o país, a Igreja do México e a Igreja universal em termos de adaptações litúrgicas”, disse Aguilar Martínez.
  • "A Diocese de San Cristóbal disse se sentir muito orgulhosa, pois deu mais um salto importante após a tradução da Bíblia para quatro línguas indígenas do país: tzeltal, tzotzil, chol e tojolabal".

A reportagem é publicada por Religión Digital, 01-03-2023.

A Diocese de San Cristóbal, no sul do México, enviará ao Papa Francisco uma proposta para incluir ritos indígenas maias, como dança, música e a participação de mulheres nas missas católicas.

Esta é a segunda proposta do tipo que surge da comunidade católica; o primeiro sobre povos nativos veio da República do Zaire, na África.

O cardeal Felipe Arizmendi Esquivel, que coordena os trabalhos, explicou à EFE, nesta semana, que a proposta será apresentada em abril à assembleia da Conferência Episcopal Mexicana (CEM) e em maio será entregue em Roma, pelo arcebispo de Puebla, dom Víctor Sánchez, presidente da comissão de pastoral litúrgica.

Essas adaptações litúrgicas visam unir as comunidades "respeitando seu valor, levando em conta a cultura dos povos originários", disse o bispo de San Cristóbal, dom Rodrigo Aguilar Martínez.

Os líderes religiosos concluíram uma reunião esta semana em Chiapas, da qual também participaram dom Aurelio García Macías, subsecretário do departamento vaticano para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, além de sacerdotes e catequistas indígenas.

“Estamos trabalhando em um encontro importante para a diocese, o país, a Igreja do México e a Igreja universal em termos de adaptações litúrgicas”, disse Aguilar Martínez.

A Diocese de San Cristóbal disse estar muito orgulhosa, pois deu mais um salto importante após a tradução da Bíblia em quatro línguas indígenas do país: tzeltal, tzotzil, chol e tojolabal.

Aguilar Martínez acrescentou que mesmo "essas celebrações já estão ocorrendo em tzeltal e tzotzil".

"Mas eles são aprovados pelo bispo e pela comunidade, e agora queremos que seja aprovado por Roma, pela sede apostólica da Igreja universal", disse ele.

Com esses avanços litúrgicos, os beneficiados são mais de 2,2 milhões de habitantes e, deles, entre 70% e 75% se consideram indígenas, segundo estimativas.

O idioma tzeltal é falado por quase meio milhão de pessoas neste estado no sul do México; tzotzil, 350.000; o chol, 150.000 e o tojolabal, 50.000, segundo informações da diocese de San Cristóbal de Las Casas.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Incluir ritos maias nas missas católicas: a proposta dos bispos do México ao Papa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU