Tese de Gänswein: há um “plano diabólico” para atacar Bento XVI

Mais Lidos

  • Elon Musk e o “fardo do nerd branco”

    LER MAIS
  • O Novo Ensino Médio e as novas desigualdades. Artigo de Roberto Rafael Dias da Silva

    LER MAIS
  • “A destruição das florestas não se deve apenas ao que comemos, mas também ao que vestimos”. Entrevista com Rubens Carvalho

    LER MAIS

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

13 Abril 2022

 

O secretário pessoal de Bento XVI, Georg Gänswein, está convencido de que existe "um plano diabólico" para minar a credibilidade do papa emérito. Isso foi expresso em entrevista à revista italiana Oggi , quando faltam apenas alguns dias para Joseph Ratzinger completar 95 anos em 16 de abril.

 

A reportagem é de José Beltrão, publicada por Vida Nueva, 11-04-2022.

 

Para o arcebispo alemão, os erros na redação que Bento XVI contribuiu para a denúncia de abusos da arquidiocese de Munique tornaram-se a desculpa para atacá-lo: "No mundo de língua alemã há uma tendência que tenta atacar o pontificado e a trabalho teológico e também prejudicar a pessoa. Gänswein chega a dizer à publicação que “eles teriam encontrado outros pontos de partida para atacar. Quase parece que os eventos continham um plano diabólico.”

 

Vários mal-entendidos

 

Durante a entrevista, o prelado alemão defende a tolerância zero contra a pedofilia eclesial liderada por Bento XVI e não hesita em se desfazer da polêmica do livro sobre o sacerdócio publicado pelo cardeal Sarah, no qual não poucos apontavam para o próprio padre Gänswein como causa do mal-entendido sobre as intenções do referido manual de pressionar Francisco: “ Havia o desejo de confrontar o Papa e o Papa Emérito. São controvérsias engenhosamente encenadas por aqueles que têm interesse, mesmo dentro da Igreja, em criar confrontos”.

“Há também aqueles que me culparam por hospedar peregrinações anti-bergoglianas à Mater Ecclesiae – o mosteiro onde reside Bento XVI. Uma acusação ofensiva e ridícula ”, acrescenta a este respeito.

 

O conselho de Bergoglio

 

Além disso, naquele início de 2020, foi dado como certo que Francisco lhe concedeu férias indefinidas como prefeito da Casa Pontifícia em resposta a essas fofocas. "O conselho de Francisco para me dedicar ao meu trabalho como secretário do Papa Emérito tinha o objetivo de evitar a instrumentalização ", diz um Gänswein mais diplomático agora, do que em outras entrevistas que assumiram a decisão de Francisco como um castigo.

Em relação ao estado de saúde do papa emérito, seu secretário pessoal o vê "fisicamente fraco, mas sua cabeça sempre funciona muito bem". Nesse sentido, considera que o ajuda a ser "metódico" no seu dia-a-dia, concelebrando a Missa às 7h30 e depois ouvindo música. "Ele retomou sua caminhada habitual pelos Jardins do Vaticano", diz ele.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Tese de Gänswein: há um “plano diabólico” para atacar Bento XVI - Instituto Humanitas Unisinos - IHU