Padre-cientista das Filipinas trabalha para criar vacina da covid-19 acessível aos países pobres

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Dezembro 2020

O padre Nicanor Austriaco, um padre dominicano das Filipinas, está trabalhando na possibilidade de tornar a vacina da covid-19 acessível às pessoas pobres, especialmente nos países menos desenvolvidos – como o seu.

A reportagem é de Ronald O. Reyes, publicada por Licas News, 11-12-2020. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

“Pensei em desenvolver esta vacina quando percebi que muitas das vacinas disponíveis já foram prometidas a países ricos em recursos”, disse o padre Austriaco, microbiologista dominicano.

Ele admitiu que “é uma ideia maluca”, mas disse que o que está trabalhando “tem que ser testado na pequena chance de que funcione”.

“Decidi fazer isso pelo bem-estar do povo filipino”, disse o padre Austriaco em entrevista ao Licas News.

Segundo ele, seu projeto, batizado de “Projeto Pagasa”, está nos “primeiros estágios de desenvolvimento” e não é tão caro quanto os que estão sendo desenvolvidos por grandes empresas farmacêuticas.

“Ainda está em estágio pré-clínico de desenvolvimento e terá que ser testado em modelos animais antes de podermos falar em voluntários humanos”, disse o padre.

Ele disse que, como sua vacina é “à base de leveduras”, não precisará ser refrigerada e será administrada por via oral.

O padre está confiante de que tem fundos suficientes para trabalhar no desenvolvimento inicial da plataforma de vacina e testá-la em animais.

“Tenho financiamento adequado para concluir os experimentos necessários para fazer o sistema de entrega da vacina de levedura e para fazer testes em animais”, disse o padre.

Ele disse que só buscará a aprovação do governo se o sistema de aplicação da vacina funcionar em animais. “Não saberemos disso por muitos meses”, disse ele.

O padre Austriaco e seus colegas farão os experimentos em um laboratório nos Estados Unidos e os testes em animais em um laboratório da Universidade de Santo Tomas em Manila.

“Faremos isso o mais rápido possível, sem sacrificar o rigor e a excelência que a ciência exige”, disse o padre, que é professor visitante de ciências biológicas em Manila até agosto de 2021.

Padre-cientista

Padre Austriaco é professor associado de biologia e teologia no Providence College nos Estados Unidos e pesquisador-chefe no Laboratório Austriaco.

Ele obteve o diploma de bacharel, summa cum laude, em bioengenharia na Universidade de Pensilvânia em 1989.

Depois fez doutorado em biologia no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) em 1996, onde foi bolsista do Instituto Médico Howard Hughes.

Em 1997 entrou para a Ordem dos Pregadores, popularmente conhecida como Dominicanos.

Ele deu aulas na Pontifícia Faculdade da Imaculada Conceição na Casa de Estudos Dominicanos em Washington D.C, onde fez o mestrado e a licenciatura em Teologia.

Ele também fez doutorado em teologia na Universidade de Friburgo, Suíça, em 2005.

Ele trabalhou como pesquisador para a Rhode Oslaand-IDeA Rede de Pesquisa Biomédica de Excelência fundado pelo Instituto Nacional de Saúde, consultor científico do National Catholic Bioethics Center e consultor de ética do St. Joseph Health Services de Rhode Island. ”

Seu laboratório no Providence College investiga a genética da morte celular programada usando leveduras como organismos modelo.

O livro do padre Austriaco, “Biomedicine and Beatitude: An Introduction to Catholic Bioethics” (“Biomedicina e Beatitude: Uma Introdução à Bioética Católica”, em tradução livre), foi reconhecido como um título acadêmico de destaque em 2012 pela Associação de Bibliotecas Universitárias e Pesquisas.

Surto em casos durante as férias

O padre alertou anteriormente sobre o possível aumento de casos de covid-19 nos próximos dias com o início da temporada de férias.

“Estamos chegando a um momento em que haverá muita mistura social, então você quer ter um número de casos o mais baixo possível antes do Natal”, disse o padre que também trabalha com o Grupo de Pesquisa OCTA da Universidade das Filipinas.

Ele disse, no entanto, que os novos casos não devem ser motivo de preocupação, acrescentando que a regra básica na gestão de pandemias é que à medida que se abre a economia e se aumenta a mobilidade, é provável que haja um aumento de casos.

“O importante é que o governo aumentou sua capacidade de combate à covid-19 e deve poder atuar rapidamente no problema”, afirmou.

As Filipinas, que registraram seu primeiro caso de covid-19 em janeiro, já registraram um total de 445.540 infecções por coronavírus, com um total de 8.701 mortes até esta semana.

O governo filipino pretende imunizar de 50% a 60% da população estimada de 110 milhões de habitantes do país a partir de meados do próximo ano para alcançar a “imunidade de rebanho”.

Carlito Galvez Jr, chefe de uma força-tarefa do governo encarregada de combater a disseminação do vírus, disse que qualquer vacina disponível será implantada em áreas de “alta carga” e entre os grupos de maior risco.

Ele disse que a estratégia visa “conter imediatamente a contaminação e transmissão do vírus e reduzi-la”.

“Vamos nos concentrar nas áreas de foco que emergem como ‘epicentros’ da pandemia e, em seguida, vamos nos concentrar nos setores ou grupos prioritários”, disse Galvez em um fórum em 10 de dezembro.

Em um fórum separado, o médico Napoleon Arevalo, do Departamento de Saúde, disse que as autoridades irão determinar as áreas de “alta carga” com base na prevalência da doença, taxa média de ataque diário nos últimos três meses e taxas de mortalidade.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Padre-cientista das Filipinas trabalha para criar vacina da covid-19 acessível aos países pobres - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV