Visita do papa à paróquia anglicana: "Um passo enorme para o ecumenismo"

Mais Lidos

  • “O governo de Milei é um governo-isca”. Entrevista com Magdalena Chirom

    LER MAIS
  • O papa ainda está vivo, mas os abutres começam a circular. Artigo de Robert Mickens

    LER MAIS
  • O sacerdócio não é a solução. Artigo de Luigino Bruni

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Fevereiro 2017

Para o Rev. Jonathan Boardman, pároco da Paróquia All Saints visitada pelo Papa Francisco no último domingo, a primeira visita de um papa a uma paróquia anglicana traz “muitíssimas coisas” de concreto. Segundo o pároco da comunidade anglicana situada no coração de Roma, “acima de tudo, um belo clima. E, depois, assinamos uma parceria com uma paróquia católica situada na Via Apia”.

A reportagem é de Franca Giansoldati, publicada no jornal Il Messaggero, 27-02-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis a entrevista.

Por que vocês escolheram justamente essa paróquia?

Porque é dedicada a Todos os Santos, como também a nossa paróquia, All Saints. Estabelecemos que, juntos, todas as sextas-feiras à noite, iremos à estação Ostiense para dar refeições quentes aos sem-teto. No futuro, teremos outros projetos. Em suma, não são apenas palavras, mas fatos concretos. Caminhamos juntos, olhando para o Evangelho.

Também está sendo estudada uma viagem humanitária ao Sudão, entre o papa e o arcebispo de Canterbury...

Trata-se de uma passagem enorme para o ecumenismo. Levar paz e alimentos juntos é extraordinário. Os dois chefes das Igrejas, a Católica e a Anglicana, podem realizar muitas coisas juntos.

Teologicamente, no entanto, continuam existindo diversos obstáculos a se superar, não é verdade?

Estou convencido de que apenas caminhando vamos superar as barreiras. É claro, no estado atual, há problemas teológicos a serem resolvidos. Por exemplo, a Igreja Católica não admite o sacerdócio feminino, enquanto nós, anglicanos, sim. A mesma coisa vale para as mulheres bispas. Naturalmente, isso não impede um belo caminho de amizade. Isso leva tempo. Também na questão dos homossexuais, nós, anglicanos, embora não oferecendo bênçãos aos casais homossexuais, temos nas nossas comunidades muitas pessoas que fazemos participar das liturgias, tentando lhes dar uma dignidade.

Leia mais:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Visita do papa à paróquia anglicana: "Um passo enorme para o ecumenismo" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU