'Ex-Pajé' testemunha retomada da identidade do povo paiter suruí

Mais Lidos

  • A identidade de católico, o Papa e o cristianismo de libertação versus a direita. Artigo de Jung Mo Sung

    LER MAIS
  • Atividade, no formato live, será na terça, 05-03, a partir das 10h

    Influenciadores digitais católicos em debate no IHU

    LER MAIS
  • Francisco: pedi para realizar estudos sobre a ideologia de gênero, o perigo mais feio hoje

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Abril 2018

Documentário preserva distância dos filmados e não cede à tentação de entrevistas.

A reportagem é de Lúcia Monteiro, publicada por Folha de S. Paulo, 27-04-2018.

Na primeira sequência de "Ex-Pajé", o protagonista recebe do jovem Ubiratan uma tese de doutorado que chegou pelo correio.

Ao percorrê-la, Perpera lembra-se das conversas com o autor, antropólogo francês interessado no povo paiter suruí.

Perpera era pajé. Acusado por um pastor de ter parte com o Coisa-Ruim, renunciou a seus poderes, tornando-se porteiro de uma igreja.

O documentário de Luiz Bolognesi, ao mesmo tempo em que descreve a aniquilação dos paiter suruí parece ter contribuído para que Perpera retomasse sua história e sua identidade.

O filme acompanha cenas do cotidiano do ex-pajé e de alguns dos poucos integrantes do grupo que sobrevivem à precariedade de recursos e às pressões do convívio com os brancos, crescente desde o primeiro contato, em 1969.

Vemos Perpera pescar e fazer compras no supermercado; observamos quando é visitado por espíritos e quando coloca a roupa para lavar em um tanquinho elétrico. Numa postura que lembra "Serras da Desordem" (2005), de Andrea Tonacci, "Ex-Pajé" preserva uma distância respeitosa dos filmados, sem ceder à tentação das entrevistas nem embarcar em julgamentos precipitados. A tecnologia não é condenada, pelo contrário. Vídeos e postagens são usados para manter contato, denunciar abusos, acessar tradições esquecidas.

Durante as filmagens de "Ex-Pajé" — e provavelmente também por causa delas — algo de precioso acontece. Perpera reapropria-se de seus poderes de pajé e atende a uma solicitação da comunidade para curar uma doente.

O filme de Bolognesi contribui para a valorização da figura de Perpera e, por consequência, para o respeito e o reconhecimento das tradições do grupo. Corroteirista de sucessos recentes o cineasta terá testemunhado um fenômeno raro: o renascimento de um pajé.

Ex-Pajé

  • Quando: Em cartaz
  • Produção: Brasil, 2018, livre 
  • Direção: Luiz Bolognesi 

Assista ao trailer

 

 

Leia mais

 

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

'Ex-Pajé' testemunha retomada da identidade do povo paiter suruí - Instituto Humanitas Unisinos - IHU